Hamilton - AFP
HamiltonAFP
Por O Dia
Bélgica - Em um roteiro repetido exaustivamente nesta temporada da Fórmula 1, Lewis Hamilton beirou à perfeição ao vencer o GP da Bélgica, neste domingo, com muita tranquilidade. O inglês dominou de ponta a ponta no circuito de Spa-Francorchamps e conquistou a quinta vitória em sete corridas neste ano. O finlandês Valtteri Bottas terminou em segundo e o holandês Max Verstappen completou o pódio.
LEIA MAIS: Confira mais informações sobre o mundo do Esporte

Dono de vários recordes e números expressivos, Hamilton está cada vez mais perto de fazer história e superar Michael Schumacher, recordista em número de vitórias. O inglês da Mercedes chegou ao 89º triunfo na categoria e está a dois de igualar o feito do alemão.

"Não foi a mais fácil das corridas. As temperaturas dos pneus estavam caindo e eu comecei a sofrer um pouco. Não importa o tamanho do sucesso, precisamos baixar a cabeça para manter essa mentalidade de trabalho incrível", disse o hexacampeão.

Ao vencer pela quarta vez na Bélgica, Hamilton abriu vantagem ainda maior na liderança do Mundial de Pilotos. Ele tem 157 pontos, contra 110 do vice-líder Verstappen e 107 do terceiro colocado Bottas. Neste sábado, a dupla tentou acompanhar o ritmo do líder, mas não conseguiu e cada um terminou na posição em que largou.

Depois de dedicar a pole conquistada no sábado para Chadwick Boseman, protagonista de "Pantera Negra", que morreu vítima de câncer de cólon, Hamilton novamente homenageou o ator ao repetir o gesto com os braços cruzados e os punhos cerrados no pódio.

A Renault obteve seu melhor resultado coletivo em 2020, com o quarto lugar do australiano Daniel Ricciardo, autor da volta mais rápida na última passagem, e a quinta colocação do francês Esteban Ocon. Foi o melhor desempenho da equipe francesa desde o GP da Itália de 2019.

Companheiro de Verstappen na Red Bull, o tailandês Alexander Albon terminou em sexto, à frente do jovem inglês Lando Norris, da McLaren, e do francês Pierre Gasly, da AlphaTauri. A Racing Point completou o top 10, com o canadense Lance Stroll em nono e o mexicano Sergio Pérez no décimo posto.

A Ferrari teve um fim de semana desastroso e não conseguiu colocar nenhum de seus pilotos entre os dez primeiros. o alemão Sebastian Vettel fechou apenas em 13º, e o monegasco Charles Leclerc apareceu na sequência, em 14º.

O italiano Antonio Giovinazzi, da Alfa Romeo, e o inglês George Russel, da Williams, abandonaram a prova. Já o espanhol Carlos Sainz Jr., da McLaren, sequer chegou a correr. Foi detectada uma falha no exaustor do seu carro quando ele se encaminhava para o grid de largada, e o piloto teve de assistir à corrida dos boxes

Antes da prova no circuito belga, os pilotos prestaram uma homenagem ao francês Anthoine Hubert, que morreu em um acidente em corrida da Fórmula 2 em Spa-Francorchamps, no ano passado. Juan Manuel Correa, envolvido na batida, participou do tributo, que teve um minuto de silêncio.

A Fórmula 1 retorna no próximo fim de semana para a disputa do GP da Itália, no circuito de Monza, a oitava etapa da temporada de 2020.