Galvão Bueno  - Reprodução de TV
Galvão Bueno Reprodução de TV
Por O Dia
Rio - Galvão Bueno lamentou a morte de Diego Maradona, que aconteceu nesta quarta-feira. Em participação no "Jornal Hoje", o narrador relembrou momentos marcantes da carreira do craque argentino e lamentou que ele tenha perdido a batalha contra as drogas.
“Ele teve várias vestimentas. Sempre muito contraditório, polêmico, fiel às suas convicções. Sempre foi um grande amigo dos amigos e inimigo implacável contra seus inimigos. De tantas guerras que ele disputou, e impossível não dizer que ele perdeu a maior delas. Perdeu para o inimigo mais terrível. Dentre tantas vitórias que teve, sofreu uma grande derrota quando perdeu a guerra para as drogas. Maradona chegou a renascer algumas vezes, hoje não conseguiu. É lamentável, porque a gente tem que ver os dois lados, desse gênio em campo que acabou perdendo essa guerra terrível. Que Deus o receba muito bem e que ele tenha muito mais paz”, disse Galvão.
Publicidade
“O Maradona, a cada momento, produzia uma obra de arte, mas, se dúvida nenhuma, a Copa de 86 foi o grande momento de Maradona. O tempo que ele jogou no Napoli, as partidas na seleção argentina… É muito difícil destacar um grande momento de Maradona, porque o Diego virou ‘El Diez’, o dez, que, para muitos argentinos, virou o Deus. Eu fico com uma frase de Maradona ali do início dos anos 90: Dizem que eu sou Deus. Deus existe apenas um. Eu sou apenas um jogador de futebol. Mas como jogador de futebol, ele, sem dúvida, foi o que mais se aproximou de Pelé", completou.
Maradona morreu em casa, em decorrência de uma parada cardiorrespiratória. As informações sobre velório e enterro ainda não foram divulgadas.