Jorge Jesus - DIVULGAçãO/BENFICA
Jorge JesusDIVULGAçãO/BENFICA
Por O Dia
Rio - Após as declarações feitas por Jorge Jesus a uma repórter repercutirem negativamente e serem consideradas machistas, o Benfica emitiu uma nota defendendo o treinador. O clube ainda criticou quem o atacou.
"Assistimos a uma polêmica desprovida de qualquer sentido, através da qual fica patenteada, uma vez mais, a criatividade ilimitada de quem tenta sistematicamente atacar o Benfica e os seus representantes ou profissionais" disse o Benfica em nota.
Publicidade
Para justificar a fala de Jesus, o clube argumentou sobre a frontalidade, ou seja, falar abertamente sobre o que se pensa da outra pessoa. A nota ainda ressalta que o que seria ofensivo para "milhares de mulheres" jornalista, seria que, "com condescendência ou paternalismo", dar uma resposta diferente por causa do gênero, alegando assim, uma suposta, igualde de tratamento entre homens e mulheres.
O Benfica também salientou sobre o fato de que o treinador nunca havia feito afirmações ou respostas machistas.
Publicidade
Por fim, o clube português ainda fez ataques a Manuel Queiroz, presidente do Clube Nacional da Imprensa Desportiva (CNID), por ter se manifestado criticamente através da entidade de classe às declarações de Jorge Jesus. Categorizou como "indigno, ridículo e covarde" o que chamaram de "silêncio submisso" em relação a situações parecidas que ocorreram com outros treinadores, principalmente de um dos rivais do clube.
"No reino da hipocrisia, finjamos todos alegremente que não sabemos que o presidente do CNID, Manuel Queiroz, é um fervoroso adepto e indisfarçável aliado do FC Porto", concluiu o comunicado.