Mike Tyson  - Reprodução
Mike Tyson Reprodução
Por O Dia
Em entrevista coletiva após o empate contra Roy Jones Jr. no último sábado, Mike Tyson afirmou que fumou maconha antes de da luta. Apesar disso, a revelação não é uma surpresa para quem acompanha o lutador. O norte-americano tem forte relação com a erva, tendo em vista que ela foi um dos fatores o ajudou a superar a falência em 2003.
"Não consigo parar de fumar. Fumei durante lutas. Eu preciso fumar, desculpe, sou fumante. Fumo todos os dias, nunca parei de fumar. É apenas quem eu sou. Não tem nenhum efeito sobre mim de um ponto de vista negativo. Ela apenas me entorpece, não diminui a dor. É apenas o que eu faço, como sou e como vou morrer. Não há explicação. Não tem começo e não tem fim", contou Tyson, durante a entrevista coletiva.
Publicidade
Vale lembrar que o consumo recreativo de maconha é libertado no estado da Califórnia, nos Estados Unidos, desde 2018. Por tanto, os negócios do boxeador são totalmente lícitos e a estimativa é de que os lucros do "Rancho Tyson" cheguem a US$ 610 mil (R$ 3,18 milhões) por mês.
O "Rancho Tyson" pode ser encontrado no meio do deserto Californiano e tem mais de 160 mil metros quadrados. O ex-jogador de futebol americano, Eben Britton é sócio de Tyson no empreendimento. Os dois investem no cultivo de variedades de maconha que utilizam nos produtos da marca "Tyson Holistic Holdings".