Rio de Janeiro - RJ  - 23/08/2020 - Futebol - Campeonato Brasileiro serie A 2020 - Partida valida pela 5 rodada - Flamengo x Botafogo - Estadio Maracana, Maracana, zona norte do Rio -  Foto Reginaldo Pimenta / O Dia - Reginaldo Pimenta / Agencia O Dia
Rio de Janeiro - RJ - 23/08/2020 - Futebol - Campeonato Brasileiro serie A 2020 - Partida valida pela 5 rodada - Flamengo x Botafogo - Estadio Maracana, Maracana, zona norte do Rio - Foto Reginaldo Pimenta / O DiaReginaldo Pimenta / Agencia O Dia
Por O Dia
Rio - O Flamengo foi condenado a pagar indenização a um torcedor do Botafogo devido aos problemas que ocorreram na compra de ingresso em 7 de março deste ano durante o clássico no Maracanã. O jogo, válido pelo carioca, os alvinegros tiveram problemas para comprar ou trocar os bilhetes. Apenas uma bilheteria estava funcionando na ocasião.
Segundo informações primeiramente dadas pelo canal "Setor Visitante", muitos torcedores desistiram de entrar no jogo e alguns optaram por recorrer na Justiça. A reclamação foi por danos morais ao consumidor e decisão em primeira instância foi de que o Flamengo deve pagar ao torcedor R$ 1 mil e devolver o valor do ingresso. O clube Rubro-Negro ainda pode recorrer da decisão.
Publicidade
O caso foi defendido pelo advogado Sergio Queiroz, que lembrou que todos os torcedores que ainda tiverem o ingresso, têm direito a serem indenizados. Após a vitória no tribunal, diversos outros alvinegros procuraram o advogado, que passa a representar pelo menos mais 90 novas ações.
"A partida de futebol é um evento, um serviço prestado ao torcedor, que pela lei se equipara ao papel de consumidor. O mandante da partida é equiparado ao papel do fornecedor e, como tal, deve garantir ao torcedor toda a estrutura para que possa aproveitar a partida em segurança e conforto como momento de lazer"
Publicidade
"No dia da partida em questão, muitos amigos pessoais que estavam lá relataram por telefone todo o absurdo e ambiente caótico que ocorreu na organização do evento: torcedores que chegaram com horas de antecedência estavam em filas quilométricas porque só havia um guichê para atender a mais de 5 mil torcedores, não havia banheiros suficientes em funcionamento, bares fechados no setor, um verdadeiro caos. Grande parte da torcida entrou já com a bola rolando" completou o advogado em entrevista ao portal "ge".