Neymar e Mbappé se recusam a jogar após acusação de racismo - AFP
Neymar e Mbappé se recusam a jogar após acusação de racismoAFP
Por O Dia
Rio - O quarto árbitro romeno Sebastian Colescu, que foi acusado de injurias raciais, durante o jogo entre Paris Saint-Germain e Istanbul Basaksehir, diz ser inocente e que não teria feito ofensas racistas ao camaronês Pierre Webó, ex-atacante e membro da comissão técnica da equipe turca.
Publicidade
Segundo informações do jornal "ProSport", da Romênia, o árbitro entrou em contato com sua família para explicar a versão dele do ocorrido e afirmou não ser racista.
"Só tento ser uma boa pessoa. Não vou ler nada do que sair na imprensa nos próximos dias. Qualquer um que me conhece sabe que não sou racista. É o que eu espero, pelo menos", teria dito Colescu na conversa com parentes.
Publicidade
A partida pela Liga dos Campeões, da última terça-feira, foi marcada por um tumulto que se iniciou quando o lateral brasileiro Rafael, do Istanbul, foi punido com cartão amarelo. Membros da equipe turca, que estavam no banco de reservas, reclamaram muito da decisão do árbitro. E de acordo com os jornais, foi neste momento em que o quarto árbitro chamou o juiz do jogo, Ovidiu Hategan, para advertir Pierre Webó. Ele disse:
"Aquele preto ali. Vá lá e verifique quem é. Aquele preto ali. Não dá para agir assim", afirmou Coltescu, a Hategan, ao se referir ao camaronês da comissão técnica do Istanbul.
Publicidade
Webó e todos os jogadores que estavam em campo, ficaram indignados com as falas do quarto árbitro e as equipes deixaram o gramado do estádio Parque dos Príncipes no meio do primeiro tempo. A partida será retomada nesta quarta-feira, às 14h55, a partir dos 13 minutos de jogo, com uma nova arbitragem. O holandês Danny Makkelie apitará o jogo.