Galvão Bueno - Reprodução
Galvão BuenoReprodução
Por LANCE!
Rio - Após a confirmação da condenação em segunda instância a nove anos de prisão ao atacante Robinho por violência sexual na Itália, o narrador Galvão Bueno repudiou o crime cometido. Para Galvão, não há o que ser discutido e que os casos de estupro devem ser combatidos de todas as maneiras.
"Não há o que se discutir, estupro é inadmissível. Não pode existir e deve ser combatido de todas as formas, das formas mais duras possíveis e imagináveis. É isso", disse Galvão durante o programa "Seleção SporTV", desta tarde.
Publicidade
De acordo com a sentença de primeira instância confirmada em segunda instância, Robinho, Falco e outros quatro brasileiros participaram da violência sexual coletiva no Sio Café, em Milão. A vítima, uma jovem albanesa, comemorava seu aniversário de 23 anos naquela noite.