Doria disse ser 'completamente desnecessária a polêmica' criada por Bolsonaro sobre o cartão de vacinação de sua mãe - Agência Brasil
Doria disse ser 'completamente desnecessária a polêmica' criada por Bolsonaro sobre o cartão de vacinação de sua mãeAgência Brasil
Por O Dia
Rio - O presidente da República Jair Bolsonaro e governador do estado de São Paulo João Dória não estarão presentes na final da Libertadores, neste sábado, no Maracanã, segundo informações da coluna do "Marcelo Rizo", no Uol. Santos e Palmeiras decidem a principal competição de clubes da América do Sul.
Publicidade
Segundo a coluna a provável ausência de Bolsonaro seria devido ao rígido procedimento adotado pela Conmebol. O presidente precisará apresentar exame negativo para Covid-19 (o PCR), feito até 96 horas antes do confronto, marcado para as 17h de sábado. É também obrigatório o uso de máscara durante todo o período em que o convidado estiver dentro do Maracanã. Já João Dória, alegou ter incompatibilidade em sua agenda. 
Outro protocolo que poderia ter feito Jair Bolsonaro não comparecer ao evento é o fato de nenhum político poder acessar o gramado após a partida. Sendo assim, quem entregaria a taça ao clube campeão seria o presidente da Conmebol, Alejandro Dominguez.
Publicidade
Vale lembrar que em 2018, já como presidente eleito, foi ele quem entregou a taça ao elenco do Palmeiras, campeão do Campeonato Brasileiro daquele ano. 
O governo do Estado do Rio de Janeiro liberou 10% da capacidade do estádio (7,8 mil lugares) para convidados da entidade, patrocinadores e clubes. Cerca de 5 mil pessoas comparecerão ao jogo.
Publicidade