A taça da Libertadores exposta no estádio do Maracanã - Conmebol/Divulgação
A taça da Libertadores exposta no estádio do MaracanãConmebol/Divulgação
Por O Dia
Palco da final da Libertadores de 2020, o Maracanã não receberá nenhuma decisão das duas competições continentais até pelo menos 2023. A Conmebol divulgou nesta sexta-feira (19) que seguirá com o processo seletivo das próximas sedes e excluiu o estádio dos concorrentes para sediar a Copa Sul-Americana.
O Maracanã fazia parte da lista inicial divulgada em maio do ano passado. Além dele, a Neo Química Arena e a Arena da Baixada, que tentavam receber a final da Libertadores, também ficaram fora da próxima fase.
Publicidade
Para a principal competição continental, Morumbi e Beira-Rio seguem na disputa para as próximas três edições. Entretanto, segundo o Diário 'Olé', a tendência é que, para 2021, a mítica La Bombonera seja escolhida pela Conmebol, como forma de homenagear Diego Maradona. A decisão será em 20 de novembro.
Já estão em andamento as inspeções de todos os estádios concorrentes. Neste momento, verifica-se a infraestrutura e logística dos locais, incluindo hotéis e centros de treinamento, tal como aeroportos. São 10 estádios que buscam receber a final da Libertadores em 2021.
Publicidade
Mané Garrincha, Castelão, Arena Pernambuco e Fonte Nova estão na disputa para receber a final da Copa Sul-Americana, assim como o Beira-Rio, nos próximos três anos. O estádio baiano não se candidatou para 2021, enquanto o Morumbi só disputa sediar a Libertadores.
Para a Libertadores de 2021, são sete estádios argentinos, dois brasileiros e um equatoriano: Libertadores da América, El Cilindro, La Bombonera, Monumental de Nuñez, Nuevo Gasómetro, Mario Kempes e Estadio Único; Morumbi e Beira-Rio; Monumental de Guayaquil.