O boliviano Marcelo Moreno, de pênalti, garantiu a vitória sobre o Athletic, no Mineirão
O boliviano Marcelo Moreno, de pênalti, garantiu a vitória sobre o Athletic, no MineirãoIgor Sales/Cruzeiro
Por ESTADÃO CONTEÚDO
Belo Horizonte - Foi sem brilho, com placar mínimo, mas valeu a meta de dormir no G-4 do Campeonato Mineiro. Desgastado e com camisa comemorativa do seu centenário, o Cruzeiro espantou a zebra e, com gol de Marcelo Moreno, de pênalti, superou o novato Athletic Club por 1 a 0, no Mineirão.

Depois de dois tropeços nas rodadas iniciais, o Cruzeiro emplacou a segunda vitória seguida e subiu para a quarta colocação, ultrapassando justamente o adversário deste domingo. Ganhou da URT e agora do Athletic Club.

Mesmo desgastado por longa viagem até Roraima, onde eliminou o São Raimundo pela Copa do Brasil, quinta-feira, o técnico Felipe Conceição não poupou seus titulares. A ordem era aumentar o entrosamento e entrar no G4. O confronto era direto e boa chance para o Cruzeiro embalar no Mineiro após desencantar na rodada passada.

Novato na elite, o Athletic Club jamais conquistou título estadual mineiro, mesmo nas divisões de baixo. Seu maior feito foi justamente o vice do Módulo II conquistado no acesso de 2020 Já havia obtido o mesmo resultado em 1969.

Mesmo sem conquistas estaduais, a centenária equipe de São João Del Rei não quer decepcionar na temporada. E aposta no futebol do centroavante uruguaio Loco Abreu para evitar o efeito gangorra no competição. O atacante de 44 anos quase abriu o placar com cabeçada no travessão.

Com duas vitórias contra os "nanicos", a meta dos visitantes era segurar o Cruzeiro no Mineirão para não sair justamente da zona de classificação às semifinais. Conseguiram por 60 minutos.

Até um pênalti atrapalhar os planos. O centroavante gringo do Cruzeiro não decepcionou. O boliviano Marcelo Moreno aliviou a tensão com cobrança precisa, com direito a paradinha.

Depois de abrir o placar, o Cruzeiro poderia até chegar a um placar mais tranquilo. Mas não soube aproveitar os contragolpes. E como vem sendo marca em seus jogos, mais uma vez Fábio teve de trabalhar no fim. O goleiro salvou em dois lances seguidos.