Por pedro.logato

Rio - Quis o destino que o 100º jogo de Oswaldo de Oliveira no comando do Botafogo fosse um clássico com o Flamengo, justamente na volta de ambos ao Maracanã. Logo ele, o mais apaixonado pelo futebol carioca entre todos os técnicos dos grandes do Rio. As lembranças das primeiras partidas que acompanhou no estádio e o romantismo que sempre carrega consigo quando conta uma história ou relembra uma escalação das décadas de 60 e 70, porém, terão que ser deixadas de lado, porque, o principal objetivo é a vitória.

Oswaldo comemora volta ao estádioDivulgação

“Completar cem jogos dirigindo uma equipe como o Botafogo é algo que me enche de orgulho e me motiva a continuar trabalhando, mas para por aí. É algo muito importante pra mim, mas uma vitória do Botafogo é muito mais importante”, disse o treinador alvinegro.

Nascido no ano da inauguração do Maraca (1950) Oswaldo tem um íntima relação com o estádio e, por isso, não esconde a ansiedade para reencontrá-lo após a reforma. A emoção de pisar no novo gramado ele sentirá pela primeira vez amanhã.

“Eu estive lá na final da Copa das Confederações, mas como torcedor. Bastidores e trabalho no campo vou fazer pela primeira vez depois da reforma. É um momento que, particularmente, eu tenho muita expectativa”, confessou.

META É VOLTAR À LIDERANÇA

No meio da semana, o Botafogo perdeu a liderança do Brasileirão para o Internacional, que derrotou (1 a 0) o São Paulo em partida adiantada da 11ª rodada. A sensação de ver um time à frente na tabela, mesmo com um jogo a mais, serviu como motivação para o Alvinegro.

“A gente quer sempre estar liderando. Liderança é sinônimo de vitória. Sempre insisto nesse ponto com os jogadores. Essa semana, paramos um pouquinho por causa da Copa do Brasil, mas já foi reativado. Todas as atenções voltaram para o Brasileirão, para que a gente consiga uma vitória que nos mantenha, se não na liderança, perto do topo”, disse Oswaldo.

Você pode gostar