Por bernardo.argento

Rio - O ‘novo Jobson’ reestreia hoje pelo Botafogo, às 18h30, contra o Sport, em Volta Redonda, mas tem uma antiga tarefa: livrar o time do rebaixamento. A torcida espera que, assim como em 2009, o atacante seja fundamental para evitar a tragédia. Logo ele, quem diria, tornou-se a grande esperança.

Focado nos treinos, o jogador não se atrasa. Está sempre rindo e brincando com os companheiros, sentindo-se realizado por poder, novamente, vestir a camisa alvinegra. Afinal, a todo momento ele pedia nova chance, negada enquanto a equipe estava bem. Quando a água passou do pescoço, virou solução.

Com contrato até o meio de 2015, o atacante ganhou a confiança de Vagner Mancini. Entretanto, precisou conter a ansiedade de voltar a jogar por conta de punição da Federação Saudita.

Jobson é a última esperança do BotafogoAndré Mourão

Contra o Goiás, pelo Brasileirão, o nome dele chegou a constar na relação dos atletas que ficariam no banco de reservas, mas, momento antes da partida, foi sacado pela diretoria a fim de evitar o risco de punições no futuro.

Não somente o jogador estava contando os minutos para voltar a atuar. A torcida e o técnico também. “A entrada do Jobson é uma estrela brilhando em dia de chuva. Pode dar um talento diferente. Também vai contagiar os outros atletas com essa vontade de atuar. Vai ajudar na parte tática, técnica e na motivação”, vibrou Mancini.

O capitão Jefferson, que chegou a levar Jobson para cultos em sua igreja, é outro que confia no atacante: “Estamos felizes e esperançosos pelo novo Jobson. Não só no cabelo (risos), mas pela pessoa regenerada que se tornou.”

Você pode gostar