Hora de apagar as chamas no Fogão

Alvinegro tenta superar mal-estar criado por vice de futebol após o empate contra o Barra Mansa de forma interna

Por edsel.britto

Rio - O Botafogo já providenciou panos quentes para abafar o mal-estar criado pelo vice de futebol, Antonio Carlos Mantuano, que entrou no vestiário após o empate com o Barra Mansa, cobrou os jogadores de forma áspera e acabou retirado do local. O presidente Carlos Eduardo Pereira entrou no circuito para apaziguar a situação e evitar uma crise na reta final da primeira fase do Carioca.

Atletas e funcionários mais antigos, que conhecem o dirigente desde quando ele foi vice-geral, no primeiro mandato de Maurício Assumpção, também serviram de bombeiros e ajudaram a apagar o incêndio. Eles procuraram explicar para os recém-chegados, maioria do grupo atual, o temperamento explosivo de Mantuano. Alvinegro inveterado, ele deixa o lado torcedor sobrepor o profissional em alguns momentos.

Roger Carvalho preferiu colocar panos quente sobre a confusão no vestiário após o empate com o Barra MansaVitor Silva / SS Press

Para evitar que a situação tome uma proporção maior na véspera do clássico com o Vasco, a ordem é não comentar sobre o ocorrido: “Foi coisa de vestiário. O que saiu na imprensa vocês já têm ideia. O resto fica para o grupo e a comissão técnica. É uma coisa mais interna”, esquivou-se Roger Carvalho.

No domingo, René Simões contará com o retorno dos laterais titulares Gilberto e Carleto, porém, não terá Marcelo Mattos e Fernandes, suspensos. Rodrigo Pimpão, com um incômodo muscular, corre contra o tempo para encarar o ex-clube.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia