Botafogo de olhos bem abertos para fazer gols

Baixo aproveitamento dos atacantes do Fogão liga o alerta de Alberto Valentim

Por O Dia

Alberto Valentim conversa com o auxiliar Felippe Capella (E) no treino
Alberto Valentim conversa com o auxiliar Felippe Capella (E) no treino -

Rio - Com apenas seis gols marcados em seis rodadas do Brasileirão, o Botafogo está com o sinal de alerta ligado para melhorar o quanto antes nesse aspecto. E, no que depender do técnico Alberto Valentim, já estará com a pontaria afiada para o jogo de amanhã, contra o Vitória, no Nilton Santos.

Da meia dúzia de gols assinalados, o que preocupa é que somente dois foram marcados por atacantes de ofício: Brenner (2 a 1 Grêmio) e Kieza (2 a 1 Fluminense). O artilheiro alvinegro no momento é o volante Rodrigo Lindoso, com dois gols (1 a 1 Sport e 2 a 1 Fluminense).

"Precisamos melhorar esses números. Mas não é culpa só dos três da frente. A gente precisa fazer com que a bola chegue. No Campeonato Carioca fizemos bem isso. Temos procurado sempre fazer alguns treinamentos de finalização. Isso acontece em todos os clubes. A gente precisa evoluir a cada dia", disse o comandante, que confirmou a estreia do zagueiro Yago, ex-Corinthians, na vaga do argentino Joel Carli, suspenso pelo terceiro cartão amarelo.

Além de Yago, o treinador ainda pode promover o retorno do lateral-esquerdo Moisés fora do time desde a final do Campeonato Carioca na vaga de Gilson. No ataque, no treino de quinta passada, Valentim testou Kieza na função do contestado meia chileno Leo Valencia.

CARLI PERTO DE RENOVAR

A novela envolvendo a renovação de contrato do zagueiro argentino Joel Carli deve acabar semana que vem. Pelo menos é o que espera o presidente do Botafogo, Nelson Mufarrej. Otimista, o dirigente teria confidenciado aos seus companheiros de gestão que o jogador está inclinado a aceitar a oferta de dois anos de contrato e um reajuste salarial. Antes, principalmente após os supostos interesses de Atlético-MG e Grêmio, Carli queria três anos de compromisso e 50% de aumento.

Comentários