Túlio Maravilha é condenado por fraudes em campanha eleitoral realizada em 2010

Jogador e assessor foram considerados culpados por forjarem recibos usados durante o período pré-eleitoral

Por O Dia

Túlio
Túlio -

Goiás - Ídolo do Botafogo, o atacante Túlio Maravilha, de 49 anos, foi condenado nesta sexta-feira a dois anos e 9 meses de prisão por omitir doações de campanha para a eleição de 2010. Na ocasião, ele foi candidato a uma vaga de deputado estadual. A decisão foi do juiz Antônio Cézar Meneses, da 133ª Zona Eleitoral. As informações são do portal "Uol".

Segundo a sentença, o atacante e o seu assessor parlamentar, Maikell Rosa dos Reis, foram considerados culpados por forjarem recibos usados durante o período pré-eleitoral. As penas, acabaram modificadas pelo próprio juiz na decisão final proferida pelo Ministério Público de Goiás. Túlio vai permanecer o período sob a obrigação de prestar serviços à comunidade, além de passar 5 horas nos sábados e domingos em estabelecimento do sistema prisional. Maikell tem as mesmas obrigações, por 2 anos e 3 meses.

A denúncia que resultou na condenação de Túlio foi assinada pelo promotor eleitoral Fernando Krebs, que descobriu fraudes na prestação de contas para a eleição de 2010. A sentença ainda cobra do ex-jogador e do tesoureiro o pagamento de dias-multa no valor de um salário mínimo vigente de oito anos atrás.

"Ao declararem falsamente os verdadeiros doadores, a Justiça Eleitoral foi impedida de saber a origem do dinheiro da campanha, se originária de agiotagem, tráfico de drogas, jogatina ou outra fonte, ainda que lícita, mas cujo doador ficou desconhecido, em razão do esquema montado pelo tesoureiro a mando e em favor de Túlio Maravilha", afirmou o promotor, em declaração divulgada pelo MP-GO.