Botafogo apaga versão que fracassou no Carioca e embala com Barroca

Glorioso melhorou gradativamente o desempenho e conquistou resultados imediatos no Campeonato Brasileiro

Por Lance

Eduardo Barroca
Eduardo Barroca -
Rio - A nova vitória do Botafogo no Campeonato Brasileiro (contra o CSA, no domingo, no Rei Pelé, por 2 a 1 pode ser interpretada de duas formas. A primeira é de que serviu para quebrar certos estigmas do time na competição: o fato de, até então, não ter vencido fora do Rio de Janeiro e que ainda estava irregular sob o comando de Eduardo Barroca, alternando boas e más partidas com frequência. A segunda é que a apresentação durante os 90 minutos não foi das melhores. Ou seja, o processo de evolução segue em vigor. Levando em conta o aspecto anímico, certamente ter conquistado os três pontos servirão para emplacar em definitivo com o comandante.

A virada de rumo com Barroca é evidente, independentemente do nível (e da constância) das atuações. Com Zé Ricardo, demitido no início de abril, o Botafogo não só não se encontrou, como viveu momentos delicados e conturbados, em especial fora de campo, com seguidos protestos da torcida. Em determinando momento, um grupo de torcedores até passou do limite das manifestações e quase partiu para as vias de fato com o ex-treinador, durante a volta da delegação do Rio Grande do Sul, um dia após ser eliminado da Copa do Brasil para o Juventude, fato que culminou na demissão de Zé.

O novo treinador assumiu em meio a esse sombrio contexto, mas soube contornar o cenário com objetividade: os resultados imediatos ajudaram recuperar o clima. Mesmo a curto prazo, Barroca soube implementar gradativamente seu estilo de jogo (sempre realçado em entrevistas), com preferência para um futebol mais ofensivo, de posse de bola, e aperfeiçoar o desempenho da equipe na medida do possível.

Bingo: os 66% de aproveitamento com o atual técnico contrastam com os 41% de Zé Ricardo. O quarto lugar no Brasileirão, com 15 pontos, deixa o time como melhor carioca na competição. Mais: mesmo com nove jogos no comando do Glorioso, Barroca está a um triunfo de alcançar o mesmo número de vitórias do seu antecessor em 17 partidas em 2019 (seis contra sete). Nos clássicos, por exemplo, está 100% (vitórias por 1 a 0 contra Fluminense e Vasco). Anteriormente, no Campeonato Carioca, o Botafogo tinha sido derrotado por Flamengo (2 a 1) e empatado com Cruz-Maltino e Tricolor (ambos 1 a 1).

Na quarta-feira, contra o Grêmio, diante de seus torcedores no Nilton Santos, o Botafogo tem uma oportunidade ainda maior de subir na tabela. E o estádio tem sido a fortaleza do Alvinegro no torneio: em três jogos, foram três vitórias. Com Barroca, também venceu o Sol de América, na Sul-Americana, sob seus domínios, por 4 a 0. Depois, pausa para a Copa América. Momento que o treinado espera para fortalecer ainda mais a equipe.

"A oportunidade da parada da Copa América vai nos dar a chance de trabalhar sem o foco nos jogos. Temos uma série de coisas para crescer individualmente e coletivamente. Treinar sem foco de jogo pode fazer toda a diferença", garantiu Eduardo Barroca.