Recuperado de lesão, meia divide culpa com médicos do Botafogo por falsa aposentadoria

Jogador deu a volta por cima e vem se destacando no futebol argentino

Por O Dia

Montillo
Montillo -
Argentina - Em alta no futebol argentino pouco mais de dois anos após anunciar a aposentadoria, o meia de Walter Montillo, de 35 anos, rompeu o silêncio para esclarecer com detalhes os motivos de ter pendurado as chuteiras. Em entrevista exclusiva à "Fox Sports", o jogador dividiu a culpa com os médicos do Botafogo. Na época, se disse incapaz, cansado das inúmeras tentativas de voltar a jogar em alto nível e pediu desculpas aos torcedores do Botafogo.
“A culpa é conjunta. Foi um pouco minha por não conseguir nunca ficar 100%, mas também deles. Agora que o tempo passou posso falar, porque com o departamento do Tigre eu não me machuquei nunca e joguei quase todos os jogos de titular. Posso falar que a culpa foi conjunta, não coloco a culpa toda neles, mas tem uma parte na minha decisão”, desabafou Montillo.
Apesar de ter anunciado que penduraria a chuteira, Montillo recebeu o suporte necessário do Tigre e voltou a jogar em alto nível. Pela equipe, já são 27 partidas e seis gols marcados, livrou o Tigre do rebaixamento, foi campeão e levantou troféus individuais, coroando a grande fase.
"Ninguém esquece de jogar bola. Foram só seis meses que eu parei de jogar, por problemas físicos que eu estava tendo no Botafogo. Eu precisava pegar ritmo e não me machucar. A confiança do treinador (do Tigre) foi muito importante para mim e também o time, que sabia jogar bem, com a bola no chão. Agora estou feliz, fomos campeões (da Copa da Superliga Argentina) e fui escolhido o melhor jogador da competição”, disse o jogador.
Perguntado sobre um possível retorno ao Botafogo, Montillo garantiu prioridade ao Glorioso, mas não acredita que se concretize. Feliz, o jogador tem contrato com o Tigre por mais dois anos, quando terá 37 anos.
“Eu disse que se voltasse ao Brasil, a prioridade seria do Botafogo. Mas, com a idade que eu tenho, não vou voltar para lá. E estou muito feliz, tenho contrato de mais dois anos. Com 37, será muito difícil sair da Argentina.”
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários