Dirigente do Botafogo, Carlos Augusto Montenegro - Vitor Silva/Botafogo
Dirigente do Botafogo, Carlos Augusto MontenegroVitor Silva/Botafogo
Por O Dia
Rio - Os efeitos da crise provocada pelo novo coronavírus chegaram ao Botafogo. Até o fim da manhã desta segunda-feira, o clube havia demitido cerca de 45 funcionários e estaria avaliando a possibilidade de aderir à MP-936, que permite corte salarial dos profissionais. A informação é do repórter Renan Moura, da Rádio Globo.
A crise financeira do Glorioso já era grave antes da pandemia. Até o momento, o clube deve 80% dos salários do mês de fevereiro e todos os meses seguintes, além das férias antecipadas de abril.
Publicidade
Em nota oficial, divulgada na manhã desta segunda-feira, o Botafogo confirmou o corte de alguns funcionários, mas não revelou números. Confira a íntegra:
O Botafogo de Futebol e Regatas comunica que, sob impacto direto dos efeitos econômicos da pandemia COVID-19, está em processo interno de readequação administrativa, sendo necessário realizar ajustes no seu quadro de colaboradores.

A decisão do Conselho Diretor foi tomada considerando as implicações orçamentárias com a vertiginosa queda de receitas, bem como o cenário que se desenha para os próximos meses no âmbito esportivo, econômico e na rotina da sociedade em geral.

O Botafogo de Futebol e Regatas agradece aos seus funcionários que estão de saída pelo profissionalismo, empenho e dedicação durante o período em que estiveram a serviço da instituição.

O Botafogo informa ainda que está em intenso processo de revisão de contratos e renegociação com fornecedores, com o intuito de mitigar os danos e colaborar para que o Clube consiga honrar seus compromissos. O contexto atual, lamentavelmente, pede sacrifícios para enfrentar a crise.

Cabe frisar a postura institucional do Botafogo desde o início da pandemia, tendo como prioridade máxima a saúde e bem-estar de todos os que representa. O Clube reafirma estar monitorando de forma permanente a evolução da COVID-19 junto às autoridades de saúde e esportivas, com a expectativa de que as atividades presenciais sejam retomadas apenas com a garantia de segurança a todos os envolvidos. É inegociável expor de forma arbitrária os seus atletas e funcionários durante a atual conjuntura.

Botafogo de Futebol e Regatas.