Gláucio Carvalho é o treinador da equipe feminina do Botafogo - Talita Giudice/Botafogo
Gláucio Carvalho é o treinador da equipe feminina do BotafogoTalita Giudice/Botafogo
Por O Dia
Rio - Treinador do time feminino do Botafogo, Gláucio Carvalho concedeu entrevista ao canal do youtube "BrauneFogo" e falou sobre diversos assuntos importantes. Entre eles, o treinador destacou a necessidade de fortalecer a cultura do futebol entre mulheres no Brasil.
"O garoto nasce, o pai dá uma bola. A mulher brasileira, infelizmente, ainda não é esse caso. Masculino até sub-9 agora você tem. Coisa que não acontece no feminino. O garoto vivencia o futebol desde que nasceu", acrescentou.
Publicidade
"O futebol feminino dá retorno. As TVs já observam. O maior público da Vila Belmiro nos últimos anos foi a final do brasileiro feminino entre Santos e Corinthians. Na semifinal em 2017, contra o Iranduba, que não é um clube expressivo, foram 45 mil pessoas. Na Arena Corinthians, foram 40 mil pessoas recentemente. O futebol feminino veio para ficar. A Copa do Mundo foi transmitida pela Globo. É um novo nicho de negócio", disse Gláucio ao jornalista Daniel Braune.
Gláucio Carvalho também comentou à respeito da campanha da equipe no Campeonato Carioca de 2019, quando chegou até a semifinal, mas as alvinegras foram eliminadas pelo Flamengo/Marinha por 7 a 2 e acabaram eliminadas. O técnico fez críticas ao rival.
Publicidade
"Fizemos mais de 35 gols no Carioca. Só perdemos na semifinal contra um time que tem um investimento público, o que é uma vergonha. Uma vergonha pra mim, pra você, pra toda torcida do Botafogo, esse "outro patamar". Usam a melhor estrutura do mundo, assim fica difícil. A Marinha do Brasil tinha que dividir esse investimento, essa estrutura, fizessem o draft com as jogadoras e distribuíssem para todo o Brasil", concluiu.