Presidente Nelson Mufarrej  - Vitor Silva / SSPress / Botafogo
Presidente Nelson Mufarrej Vitor Silva / SSPress / Botafogo
Por O Dia
Rio - O Banco Itaú BBA divulgou nesta terça-feira o relatório sobre as finanças dos clubes brasileiro. Nesta 11ª edição, a empresa fez um alerta ao Botafogo para o cenário complicado do clube. Mesmo em processo para se transformar em empresa (Botafogo S/A), o Alvinegro foi duramente analisado pelo banco, que pediu mudanças no clube. Confira a nota divulgada pelo Itaú BBA.
Publicidade

“Dramático,

Precisamos ser pragmáticos aqui: o Botafogo precisa de uma revolução para sobreviver ao ano de 2020.

Se a situação já era difícil em condições normais de temperatura e pressão, afetado pela pandemia o clube terá pouco mais que as receitas de TV para atravessar este ano. Considerando os adiantamentos e dívidas que consomem as receitas, dá para perceber que sobra pouco para realizar algo minimamente competitivo.

Se não bastasse isso, os dirigentes ainda optam por caminhos que já se mostraram equivocados em tantas outras vezes na história do futebol, como contratar mesmo sem capacidade de pagar as contas. Dizer que “o futebol é assim” não é a melhor forma de encarar o problema.

O que pode salvar o clube será a conversão de associação em empresa. Mas não adianta esperar alguém bradar que “seus problemas acabaram” tão logo vire empresa. O clube precisa de dinheiro para fazer a operação rodar, precisa de um processo que costuma ser longo e doloroso de renegociação de passivos, pois é impossível uma empresa que tem perto de R$ 150 milhões de receitas conviver com dívidas da ordem de R$ 700 milhões. Vai precisar cortar o cordão umbilical com a associação, vender ativos, e ter paciência.

Tudo isso e dependendo de quanto dinheiro entrar num aporte de capital, será como jogar água na chapa quente: o dinheiro some e ninguém verá resultado. Há coisas que só acontecem com o Botafogo.

Chegou a hora de esperar pelo milagre.”