Rubens Lopes, presidente da Ferj - Úrsula Nery / Agência FERJ
Rubens Lopes, presidente da FerjÚrsula Nery / Agência FERJ
Por O Dia
Rio - Em entrevista ao programa "Os Donos da Bola", da "Band", nesta sexta-feira, o presidente da Ferj (Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro), Rubens Lopes, falou sobre a situação do Botafogo. O mandatário acredita que o clube não vai ser rebaixado no Brasileirão e criticou o modelo atual de distribuição de cotas.
Para Rubens, o clube ser rebaixado e não ter direito a um valor maior, quase zerado sua receita, não é justo. O modelo anterior previa uma cota proporcional à Série A por mais uma temporada para os clubes que eram rebaixados.
Publicidade
"Se fôssemos utilizar o parâmetro início do ano, o Campeonato Estadual como prospecção para campeonatos futuros, a coisa foi perfeita. Não precisa nem bola de cristal nem cartomante. Botafogo e Vasco não foram bem, estão em dificuldades. Fluminense e Flamengo foram finalistas e aí está o resultado. A probabilidade era disso acontecer. É claro que queremos que o Rio mantenha as suas quatro grandes forças. Sempre digo isso. É a única cidade no mundo que tem quatro grande forças no futebol. O Santos não é da cidade de São Paulo", afirmou Rubens Lopes, que pediu mudança.
"Penso que tem que haver uma grande reflexão nesse modelo nacional. Clube formador faz contrato de períodos curtos, em função do seu calendário, clube de grande investimento faz investimento a longo prazo, de três ou cinco anos de contrato, que é para ter garantia de retorno. Você entra em uma competição que tem que entrar no mesmo nível dos demais, seus compromissos não acabam ao término da competição, então existe uma pena de morte para o clube que cai. Não sei quanto é, mas se recebe R$ 70 milhões, vai para zero se cai", explicou.
Publicidade
"Vamos ver o novo presidente do Botafogo. Caso venha a cair, o que ainda tenho esperança que não aconteça, de onde vem o dinheiro? Cai do céu? É o caso do Botafogo, do Cruzeiro. Marcas de menor investimento suportam menor esse acesso e descenso. Deveria haver reflexão sobre isso, senão a cada ano vamos matar um grande", completou.
O Botafogo entra em campo neste domingo contra o Santos, às 16 horas, na Vila Belmiro. Ao Glorioso só a vitória interessa já que está na vice-lanterna do campeonato, com 23 pontos, tendo nove pontos a menos que o Fortaleza, primeiro time fora da zona da degola.