Procurador-geral do STJD: 'Se não punirem Lusa e Fla será a falência do STJD'

Futuro de Flu, Fla e Lusa está nas mãos do STJD, que pode mudar degola no Brasileiro

Por pedro.logato

Rio - A CBF notificou nesta quarta o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) sobre irregularidades na escalação de André Santos, do Flamengo, e de Heverton, da Portuguesa, na última rodada do Campeonato Brasileiro. Suspensos pelo tribunal, os dois jogadores enfrentaram Cruzeiro e Grêmio, respectivamente. A escalação pode provocar reviravolta na classificação, mudando radicalmente a zona de rebaixamento. O julgamento será na segunda-feira.

Se punidos, Flamengo e Portuguesa, que garantiram a permanência na Série A nos gramados, correm o risco de serem rebaixados em ‘clássicos no tapetão’, uma vez que perderiam quatro pontos — três pela escalação irregular dos jogadores e um pelo empate nas respectivas partidas.

Escalação irregular de Héverton pode punir a LusaDivulgação

A situação da Lusa é bem mais complicada. A equipe usou o meia Heverton, que havia sido punido com dois jogos de suspensão na sexta-feira, dia 6. No domingo, o jogador entrou aos 32 minutos do segundo tempo no 0 a 0 com o Grêmio, no Canindé. Se punida, a Portuguesa ficaria com 44 pontos, o que salvaria o Fluminense, que fechou o Brasileiro com 46, em 17º — o primeiro entre os que caíram.

A punição no tapetão não seria suficiente para rebaixar o Flamengo, que ficaria com 45 pontos, em 16º lugar. Mas, se o Vasco vencer a batalha de para ficar com os três pontos do jogo com o Atlético-PR, em Joinville (SC), ultrapassaria o arquirrival carioca e o deixaria na zona de rebaixamento, em 17º, uma posição à frente da Portuguesa (confira as simulações nas tabelas acima).

Especializado em Direito Esportivo, o advogado Rodrigo Moraes diz que Portuguesa e Flamengo dificilmente vão escapar. Ele considera os casos parecidos, apesar de André Santos ter sido expulso em jogo da Copa do Brasil e a suspensão ser cumprida no Brasileiro. “O Regulamento Geral da Competição de 2013, em seu Artigo 68, é bem claro quando diz que a pena deve ser cumprida em qualquer competição organizada pela mesma entidade de administração. Nesse caso, como a Copa do Brasil havia terminado, a suspensão deveria ser cumprida no Brasileiro”, esclarece.

Diretor de competições da CBF, Virgílio Elísio ressalta que a decisão de punir os clubes não passa pela entidade, que apenas comunica a irregularidade para análise da Justiça Desportiva. Procurador-geral do STJD, Paulo Schmitt não vê chance de absolvição para Portuguesa e Flamengo: “Seria a falência do STJD.”

Marin descata virada de mesa

O presidente José Maria Marin disse que a CBF está acompanhando de perto a polêmica envolvendo Portuguesa e Flamengo.

“Cabe as partes envolvidas solicitar as providências à Justiça especializada. Enquanto eu estiver à frente da CBF, jamais a virada de mesa vai ocorrer. Sou um cumpridor da lei”, declarou Marin em entrevista à ‘Rádio Globo’.

Jogador do Flamengo, Elias se posicionou em nome do Bom Senso FC: “Nós vamos bater o pé contra qualquer decisão que não seja em campo.” Ele lamentou a queda à Série B de Vasco e Fluminense, mas advertiu que os clubes têm que voltar nos gramados.

Defesa de seis clubes numa única noite

Paulo Sestário Filho não representa mais a Portuguesa, clube com o qual trabalhou por nove anos. Aliás, trabalho é o que não faltava para o advogado no STJD.

Somente na sexta-feira, dia 6, data em que defendeu o meia Heverton, da Portuguesa, ele trabalhou com Criciúma, Atlético-PR, Icasa, América-MG e Santa Cruz, clubes das Séries A, B e C do Brasileiro. Vale lembrar que nada immpede que um advogado atue em vários julgamentos numa mesma sessão do STJD.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia