Jayme de Almeida e Adilson Batista duelam pelo primeiro título Carioca

Encarar desafios não é problema para nenhum dos dois treinadores

Por bernardo.argento

Rio - Os currículos de Adilson Batista e Jayme de Almeida mostram que ambos não têm medo de desafios. O primeiro aceitou a missão de assumir o Vasco à beira da queda para a Série B, enquanto o outro recebeu a árdua missão de substituir Mano Menezes em meio ao caos na Gávea. Ex-zagueiros, os dois buscam um lugar no rol dos treinadores considerados de primeira linha. Hoje, às 16h, no Maracanã, tentam subir um degrau. Jayme tem a vantagem de jogar por dois empates.

Adilson Batista tem a missão de levar o Vasco ao título que não vem desde 2003Vitor Silva / Agência O Dia

Com 46 anos, Adilson Batista faz parte de uma nova geração de técnicos que buscam afirmação num mercado dos mais competitivos. Bicampeão mineiro pelo Cruzeiro, quer vitrine também no Rio. E foi por isso que aceitou o desafio de assumir o Vasco na reta final do Brasileirão. Com cinco meses no cargo, ele superou o rebaixamento, levou o time para uma final de Carioca após dez anos de jejum e agora quer mais.

“O Jayme já conquistou a Taça Guanabara. É mais velho e experiente. Ele podia deixar os mais novos ganharem (risos). Tenho certeza de que será um jogo disputado e que vença o mais competente. Sei que no Vasco existe uma ansiedade desde 2003 e o torcedor não vê a hora de comemorar”, afirmou Adilson.

Jayme quer conquistar seu primeiro título carioca como treinadorErnesto Carriço / Agência O Dia

Jayme ignora retrospecto 

Antes de assumir o comando do Flamengo, Jayme, 61 anos, tinha apenas dois títulos como treinador: o Campeonato Capixaba de 1992 e a Série C do Carioca de 1997, à frente do Desportiva Ferroviária e do CFZ, respectivamente. Em 2013, sob desconfiança, conduziu o time ao título da Copa do Brasil. Agora, pode cair de vez nas graças da galera, se fizer do arquirrival vice de novo, embora prefira deixar de lado o retrospecto que parece jogar a seu favor.

“Como profissional, já enfrentei diversas vezes o Vasco, ganhei muito, perdi muito. Fui campeão carioca e meu título nos juniores foi em cima deles. Então, é um clássico difícil para caramba porque o Vasco joga a vida contra a gente e também jogamos a vida contra eles”, disse.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia