Um duelo de gerações e de estilos

Novato, Barroca é aposta do Botafogo para vencer, enquanto Vasco conta com a experiência de Luxemburgo

Por O Dia

Se o Botafogo recorreu à coragem das inovadoras ideias de Eduardo Barroca para superar um momento de crise, o Vasco foi mais conservador e apostou no vitorioso currículo de Vanderlei Luxemburgo para gerir a enorme pressão, na arquibancada e nos bastidores do clube, para decolar no Campeonato Brasileiro. No Nilton Santos, hoje, às 11h, os treinadores dividirão com os jogadores o protagonismo de um clássico que pode ser decidido à beira do gramado.

Em busca de uma solução eficaz e ousada, o Glorioso, que hoje faz seu jogo de número 300 no Nilton Santos, fugiu do óbvio ao anunciar Eduardo Barroca para o lugar de Zé Ricardo. Cria da base alvinegra, o técnico foi repatriado do sub-20 do Corinthians para colocar em prática o estilo que valoriza a posse de bola e assume riscos para buscar o resultado, sem perder a paciência.

Classificado para as oitavas de final da Copa Sul-Americana e em 11º lugar no Brasileiro, o técnico de 37 anos tem superado as carências e a ausência de grandes contratações com um futebol com organização e padrão.

"Sei que vamos enfrentar uma equipe motivada, com treinador novo. É o Vasco... Precisamos ser competitivos no clássico, como fomos contra o Fluminense, e manter nossa identidade. Vamos lutar para vencer, temos que pontuar o máximo possível nessas primeiras rodadas", destacou Barroca.

Com cinco títulos brasileiros, Vanderlei Luxemburgo segue como o maior vencedor como técnico na competição. Neste ano, porém, o grande desafio é manter o Vasco na Série A. Na lanterna após seis rodadas, o Cruzmaltino tentará a primeira vitória.

No auge da carreira, Luxa também foi considerado um técnico de vanguarda pelos críticos pelo futebol ofensivo praticado que o levou à Seleção e ao Real Madrid. Aos 67 anos, encara o desafio à frente do Vasco como a oportunidade de mostrar a capacidade de se reinventar.

"Estamos em evolução. A semana de trabalho foi boa. É um momento de crescimento. Quero que a equipe se consolide com uma filosia, com uma característica que funcione na Série A do Brasileiro, dentro das exigência do Vasco, da história do clube. Meu jogador tem que entender o que está fazendo e representa para o clube", avaliou o Luxa, ao site oficial do clube.

No duelo de gerações e de ideias, Barroca e Luxemburgo têm estratégias bem definidas para vencer o clássico.

Comentários