Declaração de Daniel Alves só reforça a importância do jornalismo

Camisa 10 do São Paulo foi infeliz em sua declaração após o empate com o CSA

Por O Dia

Daniel Alves
Daniel Alves -
"Eu jogando como lateral passo muito tempo sem pegar na bola, é difícil você fazer seus companheiros jogarem melhor, criarem situações de jogo, mas evidente que a imprensa não vai saber disso porque nunca jogou futebol."

A declaração foi dada por Daniel Alves, camisa 10 do São Paulo, após o empate em 1 a 1 com o CSA, neste domingo. E ela só confirma a importância do bom jornalismo também no mundo esportivo.

Dani faz três afirmações nesse trecho da entrevista. A primeira, que lateral passa muito tempo sem tocar na bola. Se fosse tão bom jornalista quanto é jogador - e é dos melhores -, Alves saberia que o maior passador do Campeonato Brasileiro na verdade é um lateral: Caio Henrique, do Fluminense, com 1042 passes certos.

Saberia também que, deslocado para o lado, mais do que dobrou o seu número de participações. Foram 83 passes certos no jogo. Sua média no meio-campo vinha sendo de apenas 37. Ninguém tocou tanto na bola. E foi ainda quem mais tempo teve a posse, com 11,8%, segundo dados do Footstats.

O efeito da mudança, portanto, foi exatamente o contrário de sua avaliação. 

O jogador diz também que, nessa posição, é mais difícil fazer seus companheiros "criarem situações". Bom, parece óbvio - até para quem é da imprensa - que atuar mais recuado limita a sua ofensividade e, claro, seu poder de criação. Mas não é algo excludente.

Marcos Rocha, do Palmeiras, também destro, é o 4º com mais passes para gol na competição (4) e o 3º em assistências para finalização (31). Guga, do Atlético Mineiro, Nino Paraíba, do Bahia, e Rafinha, do Flamengo, aparecem empatados em 9º no ranking dos garçons, com três. Todos laterais.

Novamente, no próprio jogo deste fim de semana - disputado antes da declaração -, Daniel Alves teve seu maior volume de assistências para conclusão, com duas. Jogando na meia, a média era de uma por partida.

Nenhuma afirmação do jogador se sustenta nos números. Principalmente a que diz que jornalistas não poderiam saber destes detalhes por nunca terem jogado futebol profissionalmente. 

* Com dados do Footstats
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários