Michael soube aproveitar a chance dada pelo Goiás, brilhou no Brasileirão e vai vestir a camisa do Flamengo em 2020
Michael soube aproveitar a chance dada pelo Goiás, brilhou no Brasileirão e vai vestir a camisa do Flamengo em 2020Reprodução
Por Venê Caagrande
A transação entre Goiás e Flamengo por Michael em janeiro de 2020 está rendendo em Goiânia. O Rubro-Negro ainda tem parcelas a pagar pelo atacante, e o Esmeraldino deve mais de 220 mil euros ao Goianésia, clube que o atleta começou a carreira como jogador, pela compra de 5% dos direitos econômicos.
Na transferência de Michael do Goiás para o Flamengo, as partes envolvidas fecharam a operação da seguinte forma: 
Publicidade
- Flamengo pagou 7,5 milhões de euros e ficou com 80%;

- Goiás vendeu os 75% que tinha direito;

- Goianésia vendeu 5% que tinha para o Goiás;

- Jogador cedeu 5% para o Fla e ficou com 15%;
- Resultado: Flamengo 80%, Goiás 5% e jogador 15%.
Publicidade
Entretanto, o Esmeraldino não cumpriu o acordo financeiro com o Goianésia e deve uma alta quantia para a equipe do interior de Goiás. Segundo apurou a reportagem, a situação entre as duas diretorias está da seguinte forma:
€ 495 mil o Goianésia tinha a receber do Goiás

€ 257.400,00 (já foram pagos pelo Goiás)

- [ ] 165.000,00 - 06/03/2020 (1ª parcela)
- [ ] 92.400,00 - 17/07/2020 (parte da 2ª parcela)


Goianésia tem direito a €165 mil por parcela de € 2,5 que o Goiás tem a receber do Flamengo


- [ ] Goiás recebeu em 01/02/2021 - € 1.250 milhões referentes a meta da 3ª parcela e não pagou nada ao Goianésia (Deveria repassar € 82.500,00)

- [ ] Goiás recebeu em 01/04/2021 - € 1.100 milhões referentes a parte final da 2ª parcela e não pagou nada ao Goianésia (Deveria repassar € 72.600)

- [ ] Goiás recebeu em 28/03/2021 - € 250 mil referentes parcela 1/5 da segunda metade da 3ª parcela do acordo original. (Deveria repassar € 16.500,00)

Ou seja, atualmente, o Goiás está em mora com o Goianésia em € 171.600,00 mil, além de quatro parcelas de € 16.500 mil a vencer até novembro deste ano.

Por não ter pago estes valores que estão em aberto, a multa contratual é de 10% do negócio, ou seja, € 49.500,00 mil.

Total em aberto: € 171.600,00 + 49.500,00 (multa) = € 221.100,00 (vencidos)

A vencer: € 66 mil
Publicidade
A reportagem tentou contato com as diretorias de Goiás e Goianésia, mas, até o momento da publicação, o Jornal O Dia não obteve retorno.