Por rafael.arantes

Rio - Os gregos inventaram a política, a democracia e a filosofia. Em sua mitologia, criaram a medusa, o Minotauro, Afrodite, Hércules, Poseidon... Têm o Deus dos Deuses, Zeus e o Olimpo. Mas uma coisa os gregos não sabem fazer: jogar futebol. Mesmo assim, com a ajuda divina ou não, ganharam — com um futebol medíocre — a Eurocopa de 2004.

Atenas, capital do país, tem sérios problemas de transportes, muitos deles provocados pela morosidade na expansão do metrô. Mas existe uma explicação. Quando uma escavação para ampliação dos trens é iniciada, não é possível avançar por causa dos restos arqueológicos que são encontrados. Uma equipe de arqueólogos é chamada para averiguar o material encontrado e meses se passam.

Grécia quer glória na Copa do MundoEfe

O país vive em fortíssima crise financeira e precisa se adaptar às regras do Fundo Monetário Internacional (FMI), o que tem gerado altíssimos níveis de desemprego e revolta da população que frequentemente protesta em frente ao parlamento pedindo a saída da Grécia da região do Euro.

Crise à parte, quem passeia pelas ilhas gregas não vê nenhum sinal dela. São mais de seis mil, sendo só 227 habitadas, como as famosas Santorini, Rodes e Creta, onde o turismo brilha o ano todo e os visitantes gastam seus euros. O turismo é responsável por mais de 15% do PIB grego.

Nos restaurantes do país, a culinária mediterrânea toma conta com seus deliciosos azeites, pães, queijo feta, iogurte, vinhos e peixes em um dos estilos de vida dos mais saudáveis do planeta.

Os inventores dos Jogos Olímpicos são supersticiosos e os antigos acreditavam que o barulho espanta os maus espíritos. Por isso, quebrar pratos é uma tradição do país, que também mostra desapego aos bens materiais.

Você pode gostar