Mais Lidas

50 tons de Neymar pela Seleção

A dois jogos da partida de número 50 pela equipe principal brasileira, o camisa 10 brilha e é o grande nome para a Copa

Por pedro.logato

Rio - Os 22 anos poderiam lhe servir de escudo. Mas, prestes a completar 50 jogos pela Seleção — com 48, deve atingir a marca na estreia da Copa, contra a Croácia —, com 31 gols marcados e muito tempo pela frente, Neymar não tenta driblar sua responsabilidade de conduzir o Brasil ao hexa. Em vez de carregar o peso nas costas, mata no peito e sai jogando, com direito a canetas e pedaladas. Em quatro anos, foi de menino da Vila a candidato a craque da Copa. O futebol do camisa 10 amadurece com a mesma velocidade que o atacante passa por seus marcadores, que dificilmente conseguem pará-lo.

Neymar já tem 31 gols pela seleção brasileiraReuters

“Sobretudo quando ele pega velocidade com a bola no pé. Ele tem dribles curtos, e quando você acha que ele vai driblar curto ele dá um tapa na frente. É muito complicado marcar um jogador rápido, habilidoso e inteligente como ele”, analisou Thiago Silva. 

Equilibrado entre a competitividade e a alegria, ele tomou para si o papel de protagonista da Seleção, trocou o Santos pelo Barcelona e ganhou respeito internacional. O clamor popular não foi suficiente para lhe garantir vaga no grupo de Dunga que disputou a Copa de 2010, mas reservou seu lugar no coração da torcida brasileira.

“Num treino, ele veio para cima de mim, e eu fiz a falta. Um torcedor gritou: ‘calma, Thiago, deixa ele.’ Eu ia responder, mas fiquei tranquilo”, revelou o capitão.

Pouco mais de um mês após a eliminação do Brasil contra a Holanda, nas quartas de final do Mundial da África do Sul, Neymar estreava pela seleção principal com gol, na vitória sobre os Estados Unidos por 2 a 0, em amistoso. Desde então, cresceu com as decepções — foi vice nas Olimpíadas de Londres e eliminado precocemente da Copa América, no ano anterior — e experimentou o sucesso, na Copa das Confederações. Agora, parece pronto para ser o cara da Copa.

“Das vezes que o Brasil foi campeão sempre teve alguém de mais destaque. Sem dúvida ele vai decidir muitos jogos”, garantiu Fernandinho.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia