Mais Lidas

Laços de ternura na Seleção

Atletas do Brasil formam uma nova Família Scolari

Por fabio.klotz

Rio - Como profissionais, eles percorreram caminhos diferentes e passaram por diversos cantos do mundo. Agora, formam uma nova Família Scolari em busca do hexacampeonato mundial. Mas, para alguns craques da seleção brasileira, os laços são bem mais antigos do que a convivência na Granja Comary, em Teresópolis. Eles estiveram juntos no início da carreira em categorias de base dos clubes brasileiros, quando ainda nem sonhavam que poderiam disputar uma Copa do Mundo em casa. Outros até já festejaram um título mundial, mas pela Seleção sub-20.

David Luiz e Willian, parceira a favor da SeleçãoAndré Mourão / Agência O Dia

Paraibano de Campina Grande, Hulk, atualmente no Zenit, da Rússia, mudou-se na adolescência para São Paulo para jogar na base do São Paulo, por onde também passaram Hernanes e David Luiz. Do Tricolor paulista, o atacante seguiu para o Vitória, em Salvador, onde também teve o zagueiro, nova estrela do Paris Saint-Germain, como companheiro.

“É uma amizade de criança mesmo, uma coisa muito bonita. Dividíamos o mesmo sonho, de nos tornarmos profissionais e um dia chegarmos à seleção brasileira. Eram três crianças que começaram juntas e viram seus sonhos se realizarem. Fico muito feliz por mim e por eles, porque sei de todos os sacrifícios que fizemos até aqui”, recordou Hulk.

LEIA MAIS: Notícias e bastidores da seleção brasileira na Copa do Mundo

Jefferson também conhece atuais companheiros de Seleção desde os tempos em que começou a carreira no Cruzeiro, pelo qual, inclusive, foi lançado como profissional por Felipão. Assim como goleiro alvinegro, Maicon e Maxwell jogaram na base da equipe mineira.

O atual camisa 1 de Scolari ainda festejou um título mundial com dois jogadores que estão ao seu lado na busca pelo hexa: em 2003, ele, Fernandinho e Daniel Alves conquistaram o Mundial Sub-20 nos Emirados Árabes. O gol do título, na vitória de 1 a 0 sobre a Espanha, foi do volante do Manchester City.

“Lembro de todos os detalhes daquela decisão. O Fernandinho fez o gol de cabeça. Quando acabou, eu disse: ‘Eu não acredito’. Foi inexplicável”, recordou Jefferson.

A história de Willian e David Luiz, companheiros no Chelsea até a última temporada, também começou bem cedo, no ABC paulista.

“Conheço o David desde os oito anos, quando jogamos juntos na escolinha do Marcelinho Carioca. Perdemos contato, mas nos encontramos no Mundial Sub-20 (em 2007, no Canadá). Os caminhos se separaram de novo porque ele foi para o Benfica e eu segui para o Shakhtar (em 2007)”, contou Willian, que ganhou até coraçãozinho do irreverente zagueiro ao relembrar a história numa coletiva na Granja Comary.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia