Mais Lidas

Eduardo da Silva sonha derrotar o Brasil no seu primeiro jogo oficial no país

Atacante é arma da Croácia contra a seleção brasileira

Por pedro.logato

Bahia - Se estrear em Copa do Mundo já é especial, o que dizer de enfrentar o anfitrião e ele ser o Brasil? Não bastasse tudo isso, Eduardo da Silva ainda terá a emoção de jogar contra o país em que nasceu e disputar sua primeira partida oficial em solo brasileiro. Nesse turbilhão de emoções amanhã, no Itaquerão, o atacante da Croácia prefere curtir o momento e sonha com a vitória para completar o dia especial:

Eduardo da Silva vai enfrentar o BrasilReuters

“Nunca fui federado no Brasil, e só treinei em dois clubes pequenos no Rio.Saí com 16 anos para a Croácia. Então você vê, eu nunca poderia imaginar que teria essa oportunidade de jogar contra meu país de origem nessa situação. O impossível se torna possível. Vai ser sensacional.”

O zagueiro Sammir também poderá ter a oportunidade do reencontro com o Brasil. Outros três jogadores já viveram a experiência única de ouvir o hino brasileiro do outro lado. Nenhum deles conseguiu vencer. Alexandre Guimarães foi o primeiro brasileiro a enfrentar a Seleção, pela Costa Rica, em 90, e perdeu por 1 a 0. Depois foi a vez de Alex dos Santos, defendendo o Japão, em 2006: 4 a 1.

LEIA MAIS: Notícias e bastidores da Copa do Mundo

O último a enfrentar o Brasil foi Pepe, que não perdeu com Portugal em 2010: 0 a 0. Deco e Liedson também estavam no grupo português, mas não entraram em campo na África do Sul. Em 2014, Eduardo da Silva espera poder surpreender a pátria mãe. 

“Será muito difícil vencer o Brasil, mas a Croácia pode fazer uma grande surpresa. Se fizermos o primeiro gol será difícil o Brasil virar, até porque a torcida cobra muito. Pode ser uma pressão a nosso favor”, afirmou o atacante, que irá cantar os dois hino

MODRIC PENSA EM COMO PARAR NEYMAR

Rival de Neymar na Espanha, Modric, do Real Madrid, não se engana com a primeira temporada de altos e baixos do brasileiro pelo Barcelona. Para o meia croata, o camisa 10 da Seleção tem um brilho diferente quando veste a amarelinha.

“Neymar é muito bom jogador. Ele não teve uma grande temporada de estreia no Barça, mas parece um jogador diferente pelo Brasil. Muda mesmo”, analisou Modric, que acha possível parar o craque do Brasil, mas vê outros jogadores perigosos.

“Muitos outros times já o pararam, e é o que vamos tentar fazer. Além disso, o Brasil não é só Neymar, não é o único perigo. Marcelo e Thiago Silva são incríveis, temos respeito imenso por eles.”

No último treino da Croácia antes de viajar a São Paulo para a estreia, o técnico Nico Kovac teve duas dúvidas. O lateral Pranjic, com entorse no tornozelo direito, e o atacante Olic, com bolsa de gelo no mesmo local, são a dor de cabeça.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia