Mais Lidas

Todos os esportes unidos pela seleção brasileira na busca do hexa

Na corrida pelo sonho do título mundial, Seleção ganha fanática torcida de atletas de outros esportes

Por pedro.logato

Rio - O olhar do mundo se volta para a Copa. E os outros esportes se unem numa só torcida. Paixão nacional, o futebol está no sangue de cada brasileiro, seja do judoca que enverga o quimono nos tatames ou do gigante que une habilidade e pontaria para pôr a bola laranja na cesta. É tempo de Copa. Hora de vestir a Amarelinha, juntar os amigos e ligar a TV nos jogos da Seleção.

O churrasco está pronto. Todos serão um só nos próximos 32 dias e o grito será pelo Hexa. “Muita energia, pode ter certeza de que estarei torcendo em todos os jogos. Que possamos ser campeões, precisamos dessa alegria”, pede o ala-pivô Olivinha, de 30 anos, campeão do NBB pelo Flamengo.

Torcida pelo futebol brasileiro ganha apoio de outros esportistasMárcio Mercante / Agência O Dia

Fanático por futebol, o pivô de basquete colecionou o álbum da Copa e espera que Neymar seja a figura principal. “Vai chamar a responsa. Todo mundo espera muito dele, é o cara da Seleção.”

Chegou a hora de fazer sacrifícios e não perder um lance. O judoca Victor Penalber, 24, por exemplo, voltou ao país após o Grand Prix de Cuba, e preparou a festa em família: “Estou animado, todos estão. A Seleção tem mostrado conjunto e é isso que faltava. Já chego vestindo a Amarelinha e pronto para torcer”, garante. “Neste período, ficarei dividido entre treinos e a Copa. Não tem jeito.”

MUNDO PARALELO

Um dos poucos esportes que não param, o MMA segue aceso com a disputa do título dos médios do UFC, dia 5, entre Lyoto Machida e Chris Weidman. Mas vai ter Copa para quem não estará em ação.

LEIA MAIS: Notícias e bastidores da seleção brasileira na Copa do Mundo

Vascaíno e morador de São Cristóvão, Luiz Besouro tinha luta marcada para o dia 28, mas uma lesão o tirou de combate. A atenção do carioca, então, se volta para a Seleção. “Vamos ficar ligados, ainda mais com a Copa sendo no País. Vamos reunir a galera e comemorar”, frisa.
De olho numa vaga na seleção de hipismo e ligado na Copa, o cavaleiro Tiago Mesquita, 26, vai se desdobrar para não perder jogo algum. “Estarei em competição, mas farei de tudo para dar uma olhadinha e torcer pela Seleção”, garante.

LEIA MAIS: Notícias e bastidores da Copa do Mundo

Técnico de pentatlo moderno, Guilherme Giffoni, 41, se reveza entre um projeto social no Sesc Madureira e os treinos em Deodoro. Com a experiência de quem foi oito vezes campeão estadual, ele prevê dificuldade para a Seleção. “Não existe vitória antes do tempo. Espero que ganhemos todos os jogos por 1 a 0 e sejamos campeões”, frisa. Toda torcida será muito bem-vinda.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia