Mais Lidas

Felipão admite mudanças contra a Holanda: 'Vou fazer umas duas mexidas'

Treinador afirmou que o treinamento desta sexta não contou mostrou a formação da equipe que vai jogar em Brasília

Por pedro.logato


Brasília - Na véspera da partida que vale o terceiro lugar na Copa do Mundo, Felipão teve que novamente retomar o tema da tragédia da última terça-feira, quando o Brasil perdeu para a Alemanha de 7 a 1 e teve o sonho do hexa em casa terminado. O comandante admitiu que a derrota foi bastante marcante para o país, mas pediu para ter o seu trabalho analisado de forma completa. Sobre o confronto diante da Holanda, Scolari não divulgou a escalação, mas admitiu que deve fazer algumas mudanças na equipe.

Felipão afirmou que vai mexer na equipe do BrasilAndré Luiz Mello

Mudanças após derrota na Copa

Não saio da mesma forma que entrei. Muita coisa mudou nesses 45 dias. Tudo mudou na minha vida. O balanço que vou fazer é no decorrer da minha. Nos primeiros momentos tenho que pagar minhas contas, ir no banco, fazer coisas naturais. Depois tentar conversar com a minha familia, mostrar o que vivi aqui, como me comportei com os jogadores, com o público. Depois é seguir minha vida, claro que não será nada igual ao que tinha vivido antes.

Continuidade na Seleção

O meu trabalho começou e termina após o último jogo da Copa que é no sábado. Após encerrar essa etapa, eu apresento o meu relatório e depois é uma situação que o presidente e o Marco Pollo vão conversar para saber o que entendem de certo e errado no meu trabalho. Agora, em um ano e meio, mostrei um bom trabalho, não sei como as pessoas podem só analizar um jogo. Porém, sei que estou em débito, porque era nosso objetivo chegar a final. Nós passamos muita confiança ao público para tentar chegar mais longe. Porém não vejo o trabalho como ruim, mas admito que a derrota foi catastrófica. Mas queria que vocês (imprensa) refletissem se o trabalho merece ser totalmente julgado por conta de apenas uma derrota.

LEIA MAIS: Notícias e bastidores da Copa do Mundo

Terceiro lugar

Acho uma partida muito importante. Em 2006, enfrentei por Portugal uma partida importante contra a Alemanha e vi o quanto a vitória foi importante para a equipe germânica para chegar na colocação que eles chegaram agora, de estar em uma final.

Recuperação da imagem

O resultado foi catastrófico. Nós tivemos chances no começo da segunda de dimunuir o prejuízo, infelizmente nós não conseguimos e o resultado terminou da maneira trágica. Mas não acho que deveria ficar marcado por isso. É uma derrota, assim como já conquistamos vitórias, como vencemos a Copa das Confederações e como nós já vencemos cinco títulos mundiais.

Escalação de Bernard (Suposto veto de Gallo)

O Roque e Gallo são analistas dos meus adversários e não da minha seleção. Eu faço a escolha dos meus jogadores. Eu permito e dou liberdade para que eles coloquem a opiniões deles, mas quem escala sou eu. O Gallo é uma pessoa da minha confiança e não tenho nenhum problema como ele. É um analista dos adversários e não da seleção brasileira.

Planejamento

Se eu abro os treinos, sou criticado. Se fecho, também. Tenho que fazer aquilo que penso, com situações estudadas para evitar problemas. A Granja Comary é um lugar perfeito. Não dá para fazer um treinamento secreto. Treinamos jogadas ensaiadas e mesmo assim, marcamos gols em bola parada. Não é isso que ganha o jogo. O time que eu tinha era o da Copa das Confederações e que ganhou. Não tinham muita experiência de Copa do Mundo, mas foram bem em outras competições, mas são jovens e ainda tem uma vida inteira pela frente.

Treino desta sexta

O trabalho fez um trabalho físico para se recuperar, mas deve jogar. Não teve titular ou reserva na atividade. Fiz teste. Coloquei o Marcelo como ponta, para tentar imitar o Robben. Só que não teve treino de escalação para o confronto. Vou mexer em uma ou duas posições, porque tem jogadores que vão poder dar sequência porque jogaram pouco ou não jogaram.

Sem treino em Brasília

Nós conhecemos muito bem o estádio. Jogamos contra Camarões, na Copa das Confederações. A Holanda não jogou aqui, por isso, eles conheceram o campo, estudaram mais porque não conhecem o gramado

Sem atuar no Maracanã

A CBF não teve escolha, foi a tabela da Copa. Infelizmente não jogamos aqui. Poderíamos ter jogador o primeiro jogo no Maracanã, mas é um assunto Fifa. Nós jogamos também em outros estádios, sem desmerecer, com grande torcidas, foi impressionante.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia