Imprensa catalã diz que Willian vê na transferência para o Barcelona a chance de ganhar a Liga dos Campeões    - Lucas Figueiredo/CBF
Imprensa catalã diz que Willian vê na transferência para o Barcelona a chance de ganhar a Liga dos Campeões Lucas Figueiredo/CBF
Por

Rússia - O beijinho no ombro de Willian aos críticos veio em forma de bom futebol. Depois de duas atuações apagadas contra Suíça e Costa Rica, o meia subiu de produção. Contra o México, em vez de tiro, porrada e bomba, dribles, movimentação e uma grande jogada que ajudou Neymar a abrir o caminho para a vitória por 2 a 0. Com a volta da sombra de Douglas Costa, recuperado de lesão na coxa direita, o camisa 19 precisa manter o nível amanhã, contra a Bélgica, pelas quartas de final da Copa do Mundo. Se quiser seguir fechando com o bonde titular rumo ao hexa.

"Fiquei muito feliz com minha atuação, mas ainda mais com a vitória. Após uma partida como essa, claro que aumenta a minha confiança. Espero repetir e até jogar melhor no próximo jogo. É meu pensamento e de toda a equipe, de manter esse nível, essa concentração", afirmou o meia-atacante do Chelsea.

Depois de passar os 99 minutos da estreia, no empate em 1 a 1 com a Suíça, e o primeiro tempo contra a Costa Rica apagado, Willian foi substituído por Douglas Costa. O jogador da Juventus fez a equipe subir de produção, mas sofreu uma lesão na coxa direita que o tirou das duas últimas partidas.

A contusão de Douglas Costa deu sobrevida a Willian no time titular. No vácuo da evolução de Neymar, todo o time subiu de rendimento. Nenhum, no entanto, se destacou como o camisa 19.

"Sem dúvida, desde o primeiro jogo para cá, o time vem em uma evolução muito grande. Teve o nervosismo do primeiro jogo, em uma estreia mais complicada, e o time cresceu passo a passo. Vejo a seleção brasileira muito bem, do mesmo nível de quando estava jogando nas Eliminatórias", disse Willian.

Ele se sente mais seguro do que em 2014: "Estou mais maduro e experiente do que na Copa passada. E o time está mais consistente também. A humildade é a mesma, a confiança também. O importante é a Seleção vencer e, como eu disse, estou crescendo. O momento é bom e espero jogar ainda melhor no próximo jogo."

BRASILEIROS SE DESPEDEM DE SOCHI
Publicidade
A Seleção embarca hoje, sem passagem de volta, rumo ao sonho do hexa. Ontem, o grupo realizou a última atividade em Sochi, cidade no sul da Rússia, banhada pelo Mar Negro, que abrigou os brasileiros por 24 dias. Nesta manhã, às 11h30, horário de Brasília, o time treina em Kazan, cidade onde enfrenta a Bélgica, amanhã.
Se o Brasil passar às semifinais, sai de Kazan direto para São Petersburgo, onde enfrentará Uruguai ou França.
Publicidade
"Gostei muito da cidade. Clima muito bom. A infraestrutura surpreendeu", disse Willian.
O volante Paulinho não treinou ontem com o restante do grupo. A comissão técnica avaliou que ele precisava de mais um dia em trabalho de recuperação do jogo contra o México. Porém, Paulinho não deve ser problema para Tite, que já não conta com Casemiro, suspenso Fernandinho vai jogar.
Publicidade
Você pode gostar
Comentários