Por fabio.klotz

Rio - Apenas a privilegiada vista para a Praia do Leblon foi capaz de reproduzir nos espanhóis o "hipnotismo" que eles têm imposto sobre seus adversários nos últimos anos. Encantado com o Rio, Fàbregas crê que a Espanha tem potencial para seguir fazendo história no país do futebol. Às vésperas da partida contra o Taiti, participantes de bolões apostam na maior goleada da Copa das Confederações. O recorde pertence ao Brasil, que venceu por 8 a 2 a Arábia Saudita, no México, em 1999.

Encantado com Rio%2C Fàbregas diz que Espanha vai para cima do Taiti Carlos Moraes / Agência O Dia

Acima do respeito sobre o modesto Taiti - 138º colocado no ranking da Fifa -, está o orgulho espanhol. Bicampeã da Eurocopa, campeã da Copa da África do Sul, a Fúria quer recuperar os anos de anonimato no mundo da bola. Nem mesmo a possibilidade de o técnico Vicente del Bosque preservar todos os titulares para a última rodada mudará o estilo que levou a Espanha ao topo.

“Futebol não é simples. Não é fácil dizer quem ganhará ou quanto terminará uma partida. Todos conhecem nosso futebol, nosso estilo. Jogaremos para frente. Vamos atacar e tentar fazer o maior números de gol possível. Não vamos frear. Respeitamos o adversário, mas temos de jogar como sempre”, disse Fàbregas, confiante.

Registros apontam que a maior goleada espanhola aconteceu no amistoso disputado com a Bulgária, em 1923, em Madri: 13 a 0. No Maracanã, a Fúria terá a chance de superar o Flamengo, dono da maior goleada do estádio: 12 a 2 sobre o São Cristóvão, pelo Campeonato Carioca, em 1956.

Há três anos sem perder uma partida oficial, a Espanha pretende aumentar sua invencibilidade para manter vivo o sonho de chegar à final no Maracanã. O primeiro contato com o templo do futebol acontecerá nesta quarta-feira à tarde. A emoção que arrebatou italianos e mexicanos só aumenta a expectativa de Juan Mata.

“Maracanã é um estádio que sempre escutamos falar. Será especial jogar lá”, disse o atacante do Chelsea.

A Espanha pode não ser invencível, mas é indiscutível quando o assunto é futebol.

Mata responde a Marcelo

Marcelo não escondeu o incômodo com as constantes perguntas relacionadas à Espanha nas coletivas da seleção brasileira. Apesar da convincente estreia diante do Uruguai, os espanhóis mantêm os pés no chão. Sem polemizar, Mata rebateu as críticas do lateral do Real Madrid.

“Não podemos controlar o que falam de nós. O que podemos controlar é como jogamos futebol. Viemos com humildade, claro, mas eu me sinto muito orgulhoso do jogo da seleção”, disse Mata.

No treino realizado terça-feira à noite, em São Januário, Mata treinou entre os reservas que deverão enfrentar o Taiti. Preocupado com o desgaste do grupo, o técnico Vicente del Bosque aproveitará apenas o zagueiro Sergio Ramos.

Você pode gostar