Por fabio.klotz

Rio - Em um mundo de futebol profissional, com milhões de euros envolvidos em contratações, o Taiti é a grande atração da Copa das Confederações. Com 22 dos 23 jogadores sendo amadores, eles aproveitam cada segundo de uma viagem inusitada - e lucrativa já que cada jogador está ganhando R$ 5 mil para disputar o torneio (cerca do dobro da média salarial da equipe) - que veio após uma vitória sobre a Nova Caledônia na final da Copa das Nações Oceânicas. Agora a ilha do Oceano Pacífico enfrenta nesta quinta-feira a Espanha, país da moda no futebol, em um duelo no Maracanã, templo do futebol mundial.

Taiti rouba a cena na Copa das ConfederaçõesReuters

Mas o que encontrar no Taiti? Uma ilha de cerca de 27 mil km², tamanho menor do que São João de Meriti, na Baixada Fluminense. O país é uma das 119 ilhas que constituem a Polinésia Francesa e fica perto da Austrália.

A população gira em torno de 170 mil pessoas, um pouco a mais do que Copacabana, por exemplo. Quem nasce no Taiti tem direito à nacionalidade francesa e fala francês.

O país é muito procurado por casais em lua de mel, que querem descansar e curtir nas praias paradisíacas e em seus bangalôs, aquelas cabanas dentro do mar. Mas para chegar a Papeete, capital do Taiti, a viagem é longa e não pode ser feita em menos de dois dias de avião.

Cada pessoa que chega à ilha passa por um ritual e recebe um cordão de boas-vindas feito de conchas. Os taitianos estão distribuindo os colares entre seus adversários na Copa das Confederações e fizeram isso contra a Nigéria, mas apesar da política de boa vizinhança, não deu muita sorte no primeiro jogo. Perderam de 6 a 1.

Outra tradição do país também foi vista no primeiro jogo do time na Copa das Confederações. Ao marcar o único gol da seleção, o primeiro da história do país fora da Oceania, a equipe simulou uma remada na canoa polinésia, um dos esportes típicos do país.

O turismo, que vem sendo alavancado pelos taitianos, é a principal atividade do país. Entre os programas mais procurados pelos turistas na ilha está o mergulho com tubarões de quatro a sete metros.

Depois de tomar de seis na estreia contra a Nigéria é bom a seleção taitiana abrir o olho, pois vão encarar os tubarões do futebol, que não são dóceis feito os que do mergulhos e vêm dos mares espanhóis.

Você pode gostar