Mano Menezes volta a ganhar força no Flamengo

Técnico é o preferido para assumir o lugar de Jorginho

Por fabio.klotz

Rio - Nova diretoria, velhos hábitos. Sem resultados expressivos e na zona de rebaixamento do Brasileiro após quatro rodadas, o Flamengo demitiu Jorginho na madrugada de quinta-feira e vai em busca de seu terceiro técnico em seis meses. Apesar do discurso de austeridade econômica, os dirigentes já pensam em mudar a postura para salvar o ano e evitar vergonha maior. Assim, Mano Menezes volta a ganhar força na Gávea. Celso Roth seria a alternativa mais em conta e tem o apoio do diretor de futebol, Paulo Pelaipe, mas sofre forte rejeição.

Mano Menezes comandou a Seleção até novembro de 2012Divulgação

Nome preferido da nova diretoria desde que assumiu, em janeiro, Mano Menezes foi deixado de lado pelo alto salário, que supera em muito o teto estipulado pelo Flamengo, de R$ 300 mil. Só que, depois da fracassada tentativa de fazer uma aposta mais barata em Jorginho, o chamado Projeto MM, antecipado pelo O DIA em dezembro, volta com força.

ELENCO FRACO JOGA CONTRA

A ideia é tentar reduzir a pedida de Mano. Além disso, os dirigentes precisarão convencer o ex-técnico da Seleção a aceitar o desafio de assumir um clube em crise e com um elenco limitado tecnicamente. Recentemente, ele chegou a ser cotado para dirigir o Porto, mas não fechou.

Se acertar com Mano, a diretoria voltará para o problema que a fez demitir Dorival Júnior, em março. Contratado na administração Patricia Amorim, o ex-técnico recebia muito acima do teto e não aceitou reduzir drasticamente o salário. Foi demitido e até hoje não recebeu os direitos de imagem atrasados, nem a multa rescisória, que, somados, chegam a R$ 3 milhões.

A aposta em Jorginho durou 78 dias. A decisão de demiti-lo foi facilitada pelo baixo custo da multa rescisória, de um salário (R$ 300 mil).

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia