Wallim critica adesão de sócios: 'O torcedor não pode ser tão miserável'

Ex-vice de futebol cobrou maior participação dos rubro-negros

Por pedro.logato

Rio - Na despedida do Flamengo nesta segunda-feira, o ex- vice-presidente de futebol, Wallim Vasconcellos, falou sobre o atual momento financeiro vivido pelo Rubro-Negro. Ao ser questionado sobre o modelo de gestão do clube, que tem sido criticado por cobrar altos preços para ingressos, o dirigente afirmou que é obrigação do torcedor do clube carioca ajudar de alguma forma.

Wallim fez críticas aos torcedores do FlamengoErnesto Carriço / Agência O Dia

"Para mim, é o programa de sócio-torcedor. É impossível um clube do tamanho do Flamengo só ter um porcento da torcida colaborando mensalmente com R$ 1 real por dia. O torcedor não pode ser tão miserável ao ponto de não ajudar o clube que ama. Eu reclamo dos que têm condições de ajudar, não dos que não podem. Quem pode salvar o Flamengo são os sócios-torcedores", afirmou.

Wallim Vasconcellos estava no Flamengo desde o começo de 2013, quando a chapa encabeçada por Eduardo Bandeira de Mello assumiu o comando do clube. Em pouco mais de um ano e meio à frente do futebol, o dirigente viu o Rubro-Negro conquistar a Copa do Brasil de 2013 e o Campeonato Carioca em 2014.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia