Flamengo não joga a toalha e confia em virada contra o Coxa na Copa do Brasil

Na ida o Rubro-Negro saiu de campo derrotado por 3 a 0. Agora, vai precisar vencer por quatro gols de diferença

Por bernardo.argento

Rio - O Flamengo já enxerga além do muro erguido pela terapia do saco de cimento de Vanderlei Luxemburgo. Dentro da casinha, estão os jogadores e a filosofia da humildade. Fora dela, a euforia da torcida. Mas, com a quinta vitória no Brasileiro, os dois lados começam a dar as mãos, mesmo que por cima da parede. Se antes não cair era o único objetivo, agora, é permitido sonhar com a classificação para as quartas de final da Copa do Brasil, contra o Coritiba, nesta quarta-feira, no Maracanã. No jogo de ida, o Coxa venceu por 3 a 0.

“Ainda não jogamos a toalha, tudo pode acontecer. Sabemos da dificuldade, respeitamos o Coritiba, o jogo será complicado, mas vamos tentar resolver isso quarta-feira (amanhã). Independentemente de quem entrar em campo, vamos buscar a vitória e a classificação. E a torcida será muito importante”, disse Alecsandro, com a confiança reforçada pelo gol que garantiu os três pontos ao Flamengo diante do Vitória.

Flamengo vai tentar milagre da classificação na Copa do Brasil após perder o jogo de ida por 3 a 0Ernesto Carriço

Vanderlei sabe que primeiro é preciso garantir sustentação para depois se pensar em ampliar a casinha. O planejamento conservador alerta que fazer um puxadinho pela Copa do Brasil gera risco de desabamento. Com a reconstrução da autoestima rubro-negra adiantada, no entanto, o treinador com jeito de engenheiro pode pensar em ampliar as obras.

“A gente não sabe quem vai jogar, mas sabe da possibilidade de vitória. O Vanderlei deixou claro que a nossa preocupação é o Brasileiro. Por isso, deixamos a Copa do Brasil um pouco para trás. Mas com a melhora da nossa pontuação, podemos tentar a classificação”, analisou Alecsandro.

Se a Copa do Brasil vale a empreitada ou não, quem decidirá é Vanderlei, no treino de hoje, no Ninho do Urubu. Everton e Wallace, suspensos para a partida de sábado, contra o Grêmio, pelo Brasileiro, devem jogar. Se poupar jogadores, o treinador praticamente demole as esperanças rubro-negras de conquistar outro título este ano. Por outro lado, se usar força máxima, dá de marreta no muro que ele mesmo construiu.

“Temos que analisar as nossas prioridades. Vamos ver o que o Vanderlei dirá”, concluiu o atacante.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia