Mais Lidas

Flamengo deve se reapresentar sem uma grande contratação para 2016

O reforço de maior impacto está no banco: Muricy Ramalho

Por edsel.britto

Muricy é o nome de maior impacto até aquiAndré Mourão

Rio - O Flamengo se reapresenta nesta semana com poucas caras novas em relação ao elenco que deixou a desejar no ano passado. Chegam o goleiro Alex Muralha, o lateral Rodinei, os zagueiros Juan e Antônio Carlos e o meia Willian Arão. Outros estão próximos, como o lateral-esquerdo Chiquinho. As esperadas “contratações do nível de Guerrero”, como disse o vice de finanças, Claudio Pracownik, não vieram. E a maior novidade está no banco de reservas: Muricy Ramalho. Com ele, a torcida espera ver em campo o lema ‘isso aqui é trabalho’ para ter um ano melhor.

“Muricy cobra muito mesmo. Se ele vir ‘migué’, vai afastar. O cara vai ficar fora mesmo. É um cara que eu gosto muito de trabalhar. Muito sério e de muito comprometimento. Só treino forte mesmo” disse Emerson Sheik, ao programa Globo Esporte, sobre o treinador com quem trabalhou no Fluminense.

Marcelo, Almir, Ayrton e Armero não tiveram o contrato renovado. Samir foi vendido para a Udinese. Léo, Luiz Antonio e Paulinho foram emprestados para Atlético-PR, Sport e Santos, respectivamente. E Márcio Araújo ainda não acertou sua permanência no clube.

Sheik detona

No fim do ano, o chamado “bonde da Stella” ganhou os noticiários por seu comportamento fora de campo. O atacante Emerson Sheik, que renovou contrato por mais um ano, não poupou os companheiros envolvidos.

“Quando cheguei, vi algumas coisas e percebi que não ia funcionar. A camisa e a história do Flamengo são muito grandes. Não é qualquer um que pode vestir, não. Isso precisa ser escolhido a dedo. Tinha muitos ali que não mereciam estar vestindo aquela camisa e representando mais de 40 milhões de pessoas. Comprometimento é tudo. Tinha uma galera que estava comprometida, sim, mas outra turma não estava. Precisa ter isso. Se não tiver, serei o primeiro a sair e falar. Se não gostar, é simples: me manda embora. Eu já fiz isso algumas vezes. Eu fui polêmico, sim, mas estava ganhando tudo. E aí, vai reclamar de quê?”, provocou Emerson.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia