Pressionado, Flamengo tem a obrigação de derrotar a Chapecoense

Com Mauricio Barbieri questionado, time precisa voltar a vencer para acabar com série de derrotas e não correr o risco de sair do G-4 do Campeonato Brasileiro

Por O Dia

Flamengo precisa de uma vitória contra a Chape
Flamengo precisa de uma vitória contra a Chape -

Rio - Se não ganhar da Chapecoense, às 21h, no Maracanã, além de correr o risco de sair do G-4, o Flamengo emendará a primeira sequência de três jogos sem vencer nesta edição do Campeonato Brasileiro. A eliminação na Libertadores e a sequência ruim após a Copa do Mundo, que fez o time cair da liderança para a quarta posição, pressionam Mauricio Barbieri no cargo. Os questionamentos se intensificaram com as últimas duas derrotas.

"De uma escala de zero a dez, nossa necessidade de vencer amanhã (hoje) é dez. Precisamos recuperar essa confiança, o desempenho de antes da Copa do Mundo. Temos tido chances, mas precisamos acertar o pé e o último passe", afirmou o lateral Renê. "Os resultados dão confiança, mas não acredito que perdemos a confiança. Falta mais paciência, concentração e foco nos detalhes. O jogo de amanhã (hoje) pede isso. Vão jogar por uma bola", completou.

A exemplo do que aconteceu na derrota para o Ceará por 1 a 0, no Maracanã, o Rubro-Negro, mais uma vez, deve encontrar um adversário fechado. Segundo Renê, a Chapecoense "vai jogar por uma bola". Uma postura que deveria facilitar o trabalho do time de Barbieri, acostumado a dominar as partidas no campo do oponente.

A realidade, no entanto, tem se apresentado diferente. O Flamengo encontra dificuldade em furar o bloqueio de seus rivais. Nos 15 jogos depois do Mundial, a equipe marcou 15 gols média de um por partida.

"Difícil explicar o que aconteceu. Se soubéssemos, já teríamos feito. Acho que nossos adversários aprenderam nosso jeito de jogar. Estamos sempre propondo jogo. Temos que procurar fazer coisas novas, nos concentrar e só depende de nós voltar ao topo", analisou o camisa 6.

Já foram vendidos 25 mil ingressos. Sinal de que, se o estádio não estará lotado, pelo menos a torcida não abandonou a equipe. O clima, porém, será de pressão. "A torcida tem o direito de cobrar. Sabemos que estamos devendo nos últimos jogos", admitiu Renê.

Comentários