Coração de Abel Braga pronto para feito inédito do Flamengo na Libertadores

Técnico tenta emplacar a 3ª vitória seguida do Rubro-Negro, o que seria o melhor início do clube na Libertadores

Por HUGO PERRUSO

Abel Braga se emocionou com a homenagem de seus jogadores
Abel Braga se emocionou com a homenagem de seus jogadores -

A experiência de assistir ao seu time pela TV passou e Abel Braga voltou a comandar o treino na segunda-feira, no Ninho do Urubu. Ainda sem poder fazer movimentos bruscos, ele preparou a equipe titular para o confronto contra o Peñarol, quarta-feira às 21h30, pela Libertadores e, inclusive, já se escalou. Até porque o treinador não quer ficar fora de um momento especial: se vencer no Maracanã, o Flamengo alcançará o seu melhor início pela competição.

Após derrotar San José (Bolívia) e LDU (Equador), Abel Braga vai mandar sua força máxima contra o Peñarol para conquistar a terceira vitória seguida nos três primeiros jogos da Libertadores. Algo que o Rubro-Negro nunca conseguiu em 15 participações. Chegou perto em 2010, quando derrotou Universidad Católica (2 a 0) e Caracas (3 a 1), mas perdeu para Universidad de Chile (1 a 2). No título de 1981, Zico & cia. iniciaram a campanha com uma vitória e dois empates.

"O Peñarol tem muito peso. Melhoraram desde a derrota na estreia. Na quarta eu quero estar no Maracanã, não posso perder. Três vitórias consecutivas na Libertadores não sei se o Flamengo já conseguiu. Nesse jogo não poderia ficar fora", afirmou Abel Braga, que passou mal durante o Fla-Flu de quarta-feira e foi submetido a uma intervenção cirúrgica no coração, recebeu alta no sábado, mas teve que assistir à final da Taça Rio pela TV.

Conquistar três vitórias seguidas na Libertadores o Flamengo já conseguiu, mas durante a competição. Inclusive o recorde do clube é de seis na campanha do título de 1981. Naquele ano, o Rubro-Negro derrotou o Atlético-MG por W.O. (no polêmico duelo com expulsão de cinco jogadores do Galo e encerrado antes do apito final), depois duas vezes Deportivo Cali (Colômbia) e Jorge Wilstermann (Bolívia), pela fase semifinal, e o Cobreloa (Chile), no primeiro duelo da decisão.

Comentários