Flamengo e MPT não chegam a acordo em audiência de conciliação sobre incêndio no Ninho

Este é o quarto encontro realizado entre as partes

Por O Dia

Bandeira do Flamengo permanece a meio-mastro no CT do Ninho do Urubu, onde ocorreu o incêndio
Bandeira do Flamengo permanece a meio-mastro no CT do Ninho do Urubu, onde ocorreu o incêndio -
Rio - A audiência para um acordo entre Flamengo e o Ministério Público do Trabalho sobre o incêndio no Ninho do Urubu terminou mais uma vez sem acerto. O encontro desta segunda-feira, no Tribunal Regional do Trabalho (TRT), no centro do Rio, teve como conciliador o juiz Múcio Borges, que é coordenador de primeiro grau do Cejusc (Centro Judiciário de Solução de Conflitos). 
Este foi o quarto encontro realizado. No dia 29 de agosto, às 14h30, acontecerá uma nova audiência, desta vez, contará com a presença da Procuradoria e a Defensoria do Estado. A intenção é que o Flamengo apresente uma proposta para ser analisada.
A audiência foi fechada por segredo de Justiça. O MPT quer o bloqueio de R$ 100 milhões dos cofres Rubro-negro, afim de garantir as indenizações para as famílias das vítimas. O incêndio que aconteceu no Ninho do Urubu no dia 8 de fevereiro, deixou 10 mortos. A decisão desta proposta não cabe ao juiz da audiência de conciliação.
"Essa é a quarta audiência visando uma composição, é uma negociação muito difícil, mas estamos evoluindo. Tivemos hoje uma reunião bem proveitosa, remarcamos essa audiência para uma outra data para tentar uma composição efetiva. E nessa próxima audiência achamos por bem chamar o Ministério Público do Trabalho, a Procuradoria do Estado e a Defensoria. Com esses outros órgãos, talvez consigamos fazer uma composição", afirmou Múcio Borges.
 
 

Comentários