Flamengo venceu o Santos - Daniel Castelo Branco
Flamengo venceu o SantosDaniel Castelo Branco
Por HUGO PERRUSO
Rio - Flamengo e Maracanã tornaram-se uma mistura imbatível. Único mandante com 100% de aproveitamento, o Rubro-Negro venceu mais um adversário direto pelo título com autoridade em sua casa e abriu vantagem na liderança do Brasileiro. Depois do Palmeiras, foi a vez do Santos, vice-líder no início da rodada e que dificultou, mas não foi páreo: 1 a 0, com mais um gol dele, Gabigol.
Cada vez mais líder, a equipe do técnico Jorge Jesus embalou com a sexta vitória seguida e conquistou o primeiro turno do Brasileiro, dando grande passo rumo ao hepta. Afinal, desde 2006, quando o campeonato passou a ter 20 clubes, nove dos 13 campeões de turno conquistaram o título no fim do ano.
Publicidade
No briga entre os dois melhores ataques do Brasileiro, o que se viu no primeiro tempo foi uma disputa ferrenha pela bola e um belo duelo tático entre os dois técnicos, buscando soluções e mudando as posições dos jogadores em campo. O Santos de Jorge Sampaoli apostou numa marcação mais dura, às vezes abusando das faltas, enquanto o Flamengo pressionou e complicou a saída adversária, além de tentar mais o ataque, sem completar as jogadas.
O duelo estava equilibrado, até que um detalhe definiu o placar: o Flamengo contou com a precisão para abrir o marcador, aos 43, e o Santos não soube aproveitar as chances claras que teve.
Publicidade
Se Jorge furou na pequena área — Sasha ainda chutou em Rafinha — e Sánchez parou em Diego Alves (no rebote Soteldo foi travado) —, o iluminado Gabigol foi preciso no chute, assim como Everton Ribeiro na roubada de bola e no lançamento que originaram o contra-ataque. Coube ao artilheiro tocar de cobertura ao ver Everson adiantado.
Como era de se esperar no segundo tempo, o Santos se lançou ao ataque e o Flamengo foi mais cauteloso, sem abdicar da ofensividade. Entretanto, a intensidade do jogo caiu. O que se manteve foi a boa atuação da defesa rubro-negra, anulando os santistas, que não tiveram chances.
Publicidade
Mesmo sem pressionar, o Flamengo foi quem mais chegou com perigo. Gabigol e Arrascaeta chutaram rente à trave e Bruno Henrique, em jogada individual, só não marcou um golaço porque Everson salvou com a cabeça.