Conmebol revela conversas entre árbitro e VAR em jogo entre Flamengo e Grêmio

Arbitragem anulou três gols do clube carioca

Por O Dia

Néstor Pitana
Néstor Pitana -
Rio - A Conmebol revelou nesta sexta-feira o diálogo do árbitro Néstor Pitana e os seus auxiliares que comandaram o VAR na partida da última quarta entre Flamengo e Grêmio pela Libertadores. O clube carioca teve três gols anulados, dois por impedimento de Gabigol e um por uma falta do próprio no lance em que Everton Ribeiro marcou.
No primeiro gol, feito por Everton, os auxiliares apontaram ao árbitro do jogo que houve empurrão de Gabigol em Kannemann antes do cruzamento que resultou no gol do apoiador. "Olha se não fazem falta em Walter (Kannemann) antes. Há um empurrão claro do 9 no 4 que faz ele cair, faz perder um tempo para defender", afirma um dos auxiliares do VAR. "Falta clara, atrasa o defensor claramente. Vou com falta, não gol, somente falta fora da área", diz Nestor Pitana.
No primeiro gol de Gabigol, que é considerado o lance mais polêmico, os auxiliares paralisaram a imagem no momento em que Bruno Henrique aciona o artilheiro. "A linha está tocando a chuteira branca, é impedimento confirmado", diz o auxiliar responsável pelo VAR. 
O jogador do Flamengo estaria um pouco adiantado. No segundo gol de Gabigol, lance menos polêmico, os auxiliares alegaram que corpo do jogador estava claramente adiantado. " O joelho vejo claramente adiantado. A posição adiantada é correta, Pitana", diz o VAR.
A arbitragem de vídeo indicou, ainda no primeiro tempo, a expulsão de Michel, do Grêmio, após pisão no meia Gerson em uma disputa de bola. Pitana foi chamado ao monitor e aplicou o cartão amarelo. A alegação do árbitro principal era de que o calcanhar do atleta gremista estava no chão.
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários