De virada, Flamengo bate o Boavista e fatura a Taça GB

Gols de Diego e Gabigol garantem o segundo título em uma semana

Por O Dia

O meia Diego festeja o gol de empate, após chute de fora da área que contou com desvio da zaga
O meia Diego festeja o gol de empate, após chute de fora da área que contou com desvio da zaga -
Rio - Menos de uma semana depois de faturar a Supercopa do Brasil, o Flamengo conquistou mais um caneco: a Taça Guanabara, o primeiro turno do Campeonato Carioca. Na tarde deste sábado, no Maracanã, diante de mais de 58 mil pessoas, o Rubro-Negro venceu o Boavista por 2 a 1, de virada, e também assegurou sua presença na decisão do Estadual.
Jean marcou para a equipe de Bacaxá, mas Diego e Gabigol salvaram o sábado de Carnaval. O Mais Querido volta a campo na próxima quarta-feira, de novo no Maraca, para o compromisso de volta da Recopa Sul-Americana diante do Independiente del Valle, do Equador. Na ida, em Quito, empate em 2 a 2, o que obriga os comandados do técnico Jorge Jesus a vencer a partida, uma vez que a decisão não tem o gol fora de casa como critério de desempate.
A galera nem tinha se acomodado direito nas cadeiras quando o Boavista, logo aos quatro minutos, abriu os trabalhos com um golaço. O lateral-esquerdo Jean, de falta, cobrou de longe e o goleiro César demorou a reagir: 1 a 0. Desentrosado, o ataque do Flamengo teve muitas dificuldades para levar perigo à defesa do Boavista, que se defendeu bem. No entanto, na reta final do primeiro tempo, o adversário só se preocupou em defender e não aguentou. Aos 43, após Vitinho cobrar escanteio na direção de Diego, livre na entrada da área, o camisa 10 chutou forte e contou com a sorte, pois a bola desviou na zaga e encobriu o goleiro Klever.
Animado pelo empate, o Flamengo voltou do intervalo com a mesma pressão. Sem forças, o Boavista teve muito trabalho para segurar Michael. A virada era apenas questão de tempo. E aconteceu aos 34, quando Everton Ribeiro rolou para Pedro, que deu de letra para Gabigol bater com a perna esquerda, no canto direito do goleiro. Foi o quinto gol do camisa 9 em cinco partidas na temporada.
No fim, depois de uma desatenção da zaga rubro-negra, a equipe da Região dos Lagos quase chegou ao empate, após falha do goleiro César. Depois do apito final do árbitro Marcelo de Lima Henrique, a doce rotina da torcida: festa e taça!
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia