Presidente do Flamengo, Rodolfo Landim  - Marcelo Cortes/ Flamengo
Presidente do Flamengo, Rodolfo Landim Marcelo Cortes/ Flamengo
Por Lance
Rio - O Flamengo levantou o segundo troféu da temporada após vencer o Boavista por 2 a 1 no Maracanã, pela Taça Guanabara. No entanto, o assunto ainda em destaque são as negociações do clube com as famílias das dez vítimas do incêndio no Ninho do Urubu, que completou um ano no último dia 8. Após o título, o presidente Rodolfo Landim afirmou que o Rubro-Negro tem dado um "carinho adicional" para os familiares.

"Depois do jogo que fizemos, nosso presidente de embaixadas e consulados foi lá falar com eles. Fizemos uma partida com os nomes deles nas costas dos nossos jogadores. Pegamos os autógrafos de todos os atletas do grupo na camisa e estamos entregando a todas as famílias e visitando. Estamos tentando envolver as pessoas das embaixadas, já que essas pessoas moram em cidades diferentes e longe. Esse é um carinho adicional que estamos procurando dar para elas", disse o dirigente.

Sete famílias seguem brigando com o time rubro-negro na Justiça para obter indenizações pela tragédia.
Publicidade
Landim comentou também a negociação entre Flamengo e Globo pelos direitos de televisão do clube no Campeonato Carioca. O mandatário não se mostrou confiante por um acordo. O Fla não teve partidas transmitidas ao longo da Taça Guanabara e não deve ter na Taça Rio e em uma possível final do Carioca.

"Essa é uma discussão que estamos tendo desde o ano passado. Pelo que tive informação de registros, cerca de oito a nove reuniões ocorreram. Não se chegou a nenhum acordo. A medida que o tempo vai passando, fica cada vez mais difícil. Não estamos fechados a uma proposta que venha, mas se vier vamos analisar. Até hoje não veio, a única que chegou foi oferecer ao Flamengo aderir um contrato que já tinha sido assinado por todos os outros e isso o clube já tinha dito que não faria", afirmou.
Você pode gostar
Comentários