Ex-goleiro do Vasco, sobre Jesus: 'Se perdesse para o Emelec, não duraria até o fim de 2019'

Fernando Prass elogiou o trabalho do português, mas ponderou a permanência no cargo em caso de queda na Liberta

Por O Dia

2020-02-26 - Recopa Sul-Americana -  FLAMENGO X INDEPENDIENTE DEL VALLE - Jogo de volta da final da Recopa Sul-Americana, no Maracana. Jorge Jejus. Foto: Daniel Castelo Branco / Agencia O Dia
2020-02-26 - Recopa Sul-Americana - FLAMENGO X INDEPENDIENTE DEL VALLE - Jogo de volta da final da Recopa Sul-Americana, no Maracana. Jorge Jejus. Foto: Daniel Castelo Branco / Agencia O Dia -
Rio - Com passagem por clubes como Vasco e Palmeiras, o goleiro Fernando Prass hoje atua pelo Ceará. Em entrevista ao 'Expediente Futebol', o arqueiro de 41 anos, que atuou po três anos em Portugal, elogiou o trabalho de Jorge Jesus no Flamengo, mas fez uma ponderação. Segundo o veterano, se o Rubro-Negro tivesse caído para o Emelec, nas oitavas da Libertadores, o técnico não estaria mais no cargo.

"A maior dificuldade no Brasil é conseguir manter esse patamar. O Jorge Jesus vai ter que conseguir manter. O trabalho mais difícil vai ser isso. Mas eu não acho que é porque ele é português, ele se preparou. Tem ideias muito boas de jogo, é um estrategista. No Brasil, tem alguns treinadores que tem capacidade de ter trabalho. Às vezes não tem a paciência que tem com o Jesus, que veio e conseguiu logo o resultado. Se ele perde pro Emelec, já tinha sido eliminado da Copa do Brasil... Não teria durado até o final do ano", disse Prass.

Jorge Jesus chegou ao Flamengo em agosto de 2019. Desde então, o clube já soma cinco títulos: Campeonato Brasileiro, Libertadores da América, Supercopa do Brasil, Recopa Sul-Americana e Taça Guanabara. Revelado pelo Grêmio, Prass passou por Francana-SP, Vila Nova e Coritiba, antes de se transferir para Portugal, onde atuou por três anos no União Leiria. Em 2009, o goleiro assinou com o Vasco, onde conquistou a Série B daquele ano e a Copa do Brasil de 2011. Pelo Palmeiras, conquistou dois Brasileirões (2016 e 18) e a Copa do Brasil de 2015.

Comentários