Mauro Cezar Pereira - Reprodução
Mauro Cezar PereiraReprodução
Por O Dia
Rio - O Flamengo tem pressionado em busca do retorno do futebol no país e já voltou aos treinamentos no CT Ninho do Urubu. O presidente do clube, Rodolfo Landim, que esteve com Jair Bolsonaro na semana passada para discutir o retorno do Carioca, escreveu uma carta aos torcedores explicando os motivos pelo desejo de retomar o futebol. No podcast 'Posse de Bola', do Uol, Mauro Cezar criticou a postura do Rubro-Negro.

"Se o Flamengo propusesse o confinamento do seu elenco para ficar treinando, poderia até ser um laboratório para se discutir se vale a pena. Acho que seria uma outra discussão, com a preocupação das autoridades sanitárias, dentro de um planejamento que poderia até ser utilizado por outros clubes, mas não é isso o que o Flamengo está fazendo. O Flamengo foi lá em cima em Brasília, está tentando à força, com uma interferência muito mais política do que científica", disse Mauro, que emendou:

"E a Prefeitura do Rio rapidamente dobrou, o Gutemberg de Paula Fonseca, que é ex-árbitro e um dos secretários do prefeito Marcelo Crivella foi com o dito cujo até Brasília logo depois da ida dos dirigentes. A Prefeitura rapidamente envergou e aceitou, a nota que foi publicada na semana passada logo depois, com aspas da secretária municipal de saúde, já foram aspas assim de morde e assopra. O prefeito lavou as mãos, largou meio que de mão com aquele papo de ‘não há proibição, há recomendação’", encerrou.