Marcelo Cirino volta para o Atlético-PR - BRUNO DE LIMA/AGÊNCIA O DIA
Marcelo Cirino volta para o Atlético-PRBRUNO DE LIMA/AGÊNCIA O DIA
Por O Dia
Rio - Marcelo Cirino viveu de perto experiências no Athletico-PR e Flamengo, que se enfrentam nesta quarta-feira, pela partida de ida das oitavas de final da Copa do Brasil. 
Publicidade
O atacante que foi revelado pelo clube paranaense chegou com status de craque na Gávea, mas não conseguiu superar as expectativas. Em entrevista à ESPN, o atacante que atua no Chongqing Dangdai, da China, comentou sobre sua passagem no clube. 
"Eu acho que foi um contexto em que tudo leva para vários caminhos. Muita gente pode pensar que não estava focado no Rio, que fiz isso ou aquilo. Mas muito pelo contrário. Em 2015, fui artilheiro do Carioca e fui cogitado por muitos na seleção brasileira. Meu nome era um dos mais falados jogando em outra posição como centroavante. As coisas aconteceram de alguma forma. Depois, no futebol tudo pode acontecer e não foi da maneira que a gente imaginou", afirmou .

"2015 foi um ano bem difícil, porque ficamos bem lá embaixo na tabela. Em 2016, as coisas não encaixaram. Não me arrependo de ter aceitado a proposta do Flamengo e ter vivido isso. Foi um marco na minha vida. Claro que as coisas poderiam ter sido melhores, mas Deus tem planos na sua vida que você não entende", completou.
Publicidade
Cirino afirma que não há arrependimentos por sua fase no Rubro-negro Carioca, no entanto admite que gostaria que as coisas fossem de outra forma. Além disse, elogiou o elenco atual do clube. 
“Todo mundo sabe o poder do Flamengo, jogar no Maracanã lotado e fazer gols é inexplicável. As coisas não aconteceram como eu queria, minha família queria e a expectativa de todos os flamenguistas”, apontou.

“Se você coloca o time de hoje do Flamengo, as coisas ficam bem mais fáceis. Você pega jogadores de muita qualidade, com investimento e estrutura, as coisas fluem naturalmente. Fiz muitas amizades. Se as coisas tivessem acontecido da maneira como eu queria, não teria conquistado os títulos no Athletico, não teria ido para Dubai ou jogado no Inter, que era um clube onde sempre quis jogar”, ressaltou.