O técnico Domènec Torrent, do Flamengo - RODRIGO BUENDIA / AFP
O técnico Domènec Torrent, do FlamengoRODRIGO BUENDIA / AFP
Por O Dia
Rio - O técnico Domènec Torrent quebrou o silêncio e finalmente falou sobre sua saída do Flamengo. Em entrevista ao site "GE", ele se mostrou decepcionado com a diretoria rubro-negra e lamentou que seu trabalho à frente do Rubro-Negro tenha sido interrompido.
Publicidade
"Nunca falei com essas pessoas (diretoria). Em três meses, eu falei uns 5min com o presidente. Eu só conversava rapidamente com Marcos Braz, da diretoria, e com Spindel, que estava praticamente no dia a dia lá, não todos os dias, mas ia com mais frequência à sede. Agora lembrei que, quando fui contratado... Agora a gente vai lembrando de muitas coisas. Nunca me perguntaram como jogava ou como queria jogar. Não sei se sabiam como eu jogava ou como joguei nas outras equipes. Disseram barbaridades, como que, nas equipes em que trabalhei, sempre era goleado. Isso é mentira", disse Dome.
"Muitas vezes eu sentia que, quando perdíamos, alguém lá de dentro ficava feliz, era o que eu sentia. Minha equipe e eu tínhamos essa sensação. Então era muito complicado trabalhar assim. Fui muito feliz trabalhando no Flamengo, por causa dos jogadores. Nenhum me decepcionou. Apesar do que a imprensa diz, nunca briguei com ninguém. Fui muito feliz com as pessoas nas ruas no dia a dia. Quando fomos dispensados, as pessoas que eu encontrava no supermercado, era eu que ia estava sozinho aí, em restaurantes ou quando passeava de bicicleta, todos me apoiavam, me incentivavam", completou.
Publicidade
Domènec também lamentou o fato de ao longo de sua passagem no Brasil não ter conseguido dar entrevistas, já que o clube não o liberava.
"Não me deixavam falar... Tem uma pessoa que me assessora em tudo relacionado à imprensa. Eu tinha feito contato com jornalistas argentinos, nem sequer europeus, e, quando falava com a Comunicação do Flamengo, diziam que não era o momento. Tenho certeza de que, se pudesse explicar à imprensa, principalmente a brasileira, poderiam entender que esse jogo posicional, tão famoso e que preocupava a tantos jornalistas, não sei por que, já que Sampaoli joga assim há três anos, e muito bem por sinal, que era o que queríamos fazer, porque queríamos jogar com os jovens, eu queria me abrir com as pessoas para verem que sou uma pessoa muito normal", lamentou.
Publicidade
Domènec foi demitido pelo Flamengo com 63.8% em 26 jogos. O grande número de gols sofridos pela equipe carioca foram fundamentais para seu desligamento. O contrato do treinador ainda está em vigência e ele negocia o pagamento da multa rescisória.